Biden diz que vai exigir o uso de máscara em todo o país e convida Fauci para sua equipe

Segundo o presidente eleito, as máscaras serão obrigatórias nos 100 primeiros dias do seu governo

0
1100
Dossiê foi escrito por professores de universidades além de diretores de ONGs internacionais (foto: flickr)
Dossiê foi escrito por professores de universidades além de diretores de ONGs internacionais (foto: flickr)

Em entrevista ao canal de televisão CNN nesta quinta-feira (3), o presidente eleito Joe Biden disse que o uso de máscara será obrigatório durante os 100 primeiros dias do seu governo. Segundo Biden, a medida terá que ser cumprida em todo o país nas áreas públicas em que ele tem autoridade para isso, como nos prédios governamentais, mas que respeitará decisões dos administradores locais.

“Cem dias com máscaras, não é para sempre, são 100 dias. Creio que veremos uma redução expressiva nos casos de covid-19,” disse ele.

Ao lado da vice-presidente eleita, Kamala Harris, Biden revelou ao jornalista Jake Tapper que pediu ao médico Anthony Fauci, principal epidemiologista do governo Trump que continue seu trabalho no próximo ano junto à equipe escolhida para enfrentar a pandemia.

“Pedi a Fauci que permanecesse exatamente na mesma função em que esteve nas várias presidências anteriores, além de convida-lo para ser chefe do meu conselho médico” disse Biden.

Ainda na noite desta quinta-feira, a CNN procurou o médico para comentar as declarações do Democrata. Faucci contou ao canal de televisão que teve uma reunião com a com a equipe de combate à covid-19 do novo governo.

 Segundo o especialista, eles discutiram o quadro geral da pandemia no país e a distribuição das vacinas. Fauci relatou que “foi um bom encontro e que é a maneira como a transição deve funcionar”.

Pouco antes das eleições presidenciais de 3 de novembro, Trump disse durante um comício eleitoral na Pennsylvania que iria demitir o epidemiologista logo após o resultado das urnas. O comentário foi feito e meio a uma multidão de apoiadores que gritava “demita Faucci! demita Faucci !”

No dia seguinte à declaração do atual presidente, Biden saiu em defesa do médico e anunciou que iria “contratar Faucci e demitir Trump”.