Biden fala sobre planos para Previdência Social e Medicare antes das eleições de novembro

Tanto Medicare como Social Security enfrentam problemas de financiamento a longo prazo

0
796
Biden assinou a Lei de Redução da Inflação, que incluía várias disposições destinadas a reduzir os custos de medicamentos prescritos para pacientes do Medicare (Foto: White House)
Biden assinou a Lei de Redução da Inflação, que incluía várias disposições destinadas a reduzir os custos de medicamentos prescritos para pacientes do Medicare (Foto: White House)

O presidente Joe Biden destacará nesta terça-feira (27) o Medicare e Social Security, questões importantes que podem causar impacto a seis semanas das eleições de meio de mandato.

Suas observações na Casa Branca serão realçadas dias depois de programas populares terem pouca atenção em sua implementação dentro da agenda que os republicanos da Câmara prometem seguir se os eleitores lhes derem o controle da casa em novembro.

Tanto Medicare como Social Security enfrentam problemas de financiamento a longo prazo.

As soluções propostas pelos democratas têm sempre focado no aumento dos impostos sobre os contribuintes de alta renda enquanto também prometem expandir os benefícios.

Os republicanos acusam os democratas de sobrecarregar ainda mais o Medicare por meio de esforços recentes para reduzir os custos de medicamentos prescritos. Muitos republicanos apoiaram o aumento da idade de elegibilidade para o Medicare e a idade de aposentadoria para a Previdência Social como parte de um plano para manter os programas solventes sem aumentar os impostos.

O “Compromisso com América” anunciado na semana passada pelos republicanos da Câmara de Deputados promete “salvar e fortalecer o Social Security e Medicare” sem especificar como.

Os democratas imediatamente apontaram para o plano de orçamento proposto pelos conservadores da Câmara no início deste ano. O plano rejeita como “fundamentalmente imoral” aumentar os impostos sobre a folha de pagamento para cobrir o déficit da Previdência Social. Em vez disso, os conservadores propõem aumentar lentamente a idade de elegibilidade para refletir o aumento da expectativa de vida desde o início do programa. Os benefícios também aumentariam para os trabalhadores de baixa renda e diminuiriam para os que ganham mais.

Para o Medicare, a eligibilidade da idade aumentaria, e o programa seria transformado em termos de subsídios baseados em renda para planos de saúde específicos.

Os democratas também atacaram uma proposta do senador da Flórida Rick Scott, líder da campanha dos republicanos do Senado, exigindo que toda a legislação federal seja renovada a cada cinco anos. Os democratas acusam os republicanos de querer “obscurecer” a Previdência Social e o Medicare. Scott disse que quer “consertar e “preservar” esses programas, sem fornecer detalhes.

Um projeto de lei de quase todos os democratas da Câmara aumentaria os benefícios do Social Security de várias maneiras e aplicariam o imposto sobre salários acima de $400 mil. Mas a maioria dos novos benefícios seriam temporários, e o aumento dos impostos apenas garantiriam quatro anos extras de solvência para o fundo fiduciário, de acordo como Center on Budget and Policy Priorities, um think tank liberal de Washington, D.C.

No Medicare, um esforço dos democratas do Senado neste verão para aumentar impostos sobre os mais ricos a fim de sustentar este programa não foi bem sucedido.

Biden assinou a Lei de Redução da Inflação, que incluía várias disposições destinadas a reduzir os custos de medicamentos prescritos para pacientes do Medicare. Exige que o governo negocie os preços de alguns medicamentos mais vendidos e exige que os fabricantes de medicamentos paguem descontos se seus preços subirem mais rápido que a inflação. Também limita os custos de gastos com medicamentos para pacientes do Medicare a $2,000 por ano.