Antonio Tozzi Esportes

Boletim da Copa | Semifinais da Copa do Mundo Catar 2022 estão definidas

Argentina, Croácia, Marrocos e França são as quatro seleções semifinalistas do torneio. Momento de fazermos conjeturas sobre quem pode ir à final, marcada para domingo, 18 de dezembro

Estádio Al Thumama, palco do duelo deste sábado (10) entre Marrocos e Portugal (Foto: Carlos DiRoberto Martinez/AcheiUSA)
Estádio Al Thumama, palco do duelo deste sábado (10) entre Marrocos e Portugal (Foto: Carlos DiRoberto Martinez/AcheiUSA)

A final desejada

Argentina x França podem fazer uma final inédita em Copas do Mundo e, mais do que isto, reunir dois dos maiores craques da atualidade. O argentino Messi, que está no ocaso de sua brilhante carreira, e gostaria de se despedir da Albiceleste com o título de campeão do mundo, e Kylian Mbappé, o jovem craque francês que surge como a estrela ascedente, para substituir a idolatria reservada aos fenomenais Messi, Cristiano Ronaldo – que encerrou sua carreira na seleção portuguesa hoje -, e Neymar. O brasileiro, aliás, é o único dos três que tem possibilidade de disputar a Copa do Mundo de 2026. Já Mbappé, por ter apenas 24 anos, ainda tem muitas copas para jogar.

Além do duelo entre os dois astros, a vitória significaria o tricampeonato para a Argentina, que venceu as Copas do Mundo de 1978 e 1986, ou para a França, ganhadora das edições de 1998 e 2018. Ou seja, seria (será?) uma partida para entrar na história!

A final inesperada

Marrocos x Croácia seria o encontro entre duas seleções que não sabem o que significa ganhar uma Copa do Mundo. A seleção europeia, pelo menos, já disputou a final da última Copa do Mundo, quando foi batida pela França. Já Marrocos está fazendo história, por ser a primeira seleção africana a chegar às semifinais em uma Copa do Mundo, que ganha um sabor ainda mais especial pelo fato de a competição estar sendo realizada no Catar, um país do Oriente Médio e de origem árabe como o Marrocos.

Se a final reunir essas duas seleções, prepare-se para poucos momentos de emoção. De um lado, os africanos que jogam com muita garra e segurança na defesa. Tanto que até agora sofreram somente um gol no torneio, no jogo contra o Canadá, ainda na fase de grupos. E o gol foi marcado por um de seus zagueiros, contra a própria rede. Do outro lado, os europeus que contam com um excelente toque de bola, sobretudo no setor de meio campo, mas pouca contundência. Grande chance de a decisão ir para a série de penalidades máximas.

A final inusitada

Argentina x Marrocos seriam protagonistas de uma final sem a presença de uma equipe europeia, reunindo pela primeira vez na história das Copas do Mundo uma seleção sul-americana e outra africana. Messi e Ziyech são os principais jogadores de cada seleção, mas ambos contam com bons coadjuvantes, como Hakimi, Boufal e Bono do lado marroquino, e Di Maria, Julian Alvarez e Dibú Martinez, do lado argentino. Aliás, os goleiros Bono e Martinez estão sendo destaques em seus times.

Um componente adicional daria um molho para essa final. Segundo os correspondentes que estão no Catar, as torcidas dessas duas seleções são as mais entuisasmadas nas arquibancadas. A idolatria dedicada a Messi catalisou muitos torcedores de outros países, enquanto Marrocos simboliza a epítome da cultura árabe em um cenário predominantemente eurocentrista e sul-americano.

A final repetida

França x Croácia podem reeditar quatro anos depois a final disputada em 2018 na Copa do Mundo da Rússia. A vitória francesa reverenciaria a França como potência futebolística de primeira grandeza no espectro mundial, enquanto uma eventual conquista croata consagraria a geração de ouro do país dos balcãs: Perisic, Kovacic, Brozovic e, sobretudo, o festejado Modric.

Conhecidos como “brasileiros da Europa”, os atletas da antiga Iugoslávia sempre se destacaram por mostrar um futebol alegre e bem jogado, produzindo grandes futebolistas e também ótimos jogadores de basquete. Com a queda de Josip Broz Tito e a dissolução da Iugoslávia, os conflitos étnicos se acentuaram e partiu-se para guerras separatistas. Deste modo, o poder da antiga Iugoslávia ficou com a Sérvia, enquanto Croácia, Eslovênia, Montenegro e Boznia Herzegovina conquistaram suas independências. Esta fragmentação prejudicou a formação de fortes equipes em esportes coletivos, como futebol e basquete. No entanto, a Croácia conseguiu se sobressair e está pela segunda vez consecutiva em uma semifinal de Copa do Mundo.

Acompanhe um resumo dos jogos de hoje:

Marrocos surpreeende Portugal com um gol de cabeça e um ferrolho intransponível

Marrocos venceu a seleção de Portugal e é a primeira seleção africana a disputar uma vaga em semifinais de Copa do Mundo (Foto: Carlos DiRoberto Martinez/AcheiUSA)

Uma zebra histórica! Mais organizado, Marrocos venceu Portugal por 1 a 0 com um gol de En-Nesyri no primeiro tempo e levou a seleção africana para a semifinal pela primeira vez na história. Os marroquinos seguraram a pressão portuguesa que, mesmo com cinco atacantes em campo, não conseguiu passar pelo goleiro Bono, um dos melhores da competição. Não faltaram tentativas, mas o placar premia a seleção que conseguiu aplicar melhor a própria estratégia no Estádio Al Thumama.

Os “Leões do Atlas” seguem escrevendo a história no Catar. Pela primeira vez que chegou nas quartas de final, os marroquinos também atingiram um fato inédito: ser a primeira seleção africana a conquistar um lugar na semifinal de Copa do Mundo. O continente tinha batido na trave outras três vezes com Camarões (1990), Senegal (2002) e Gana (2010), quando não passaram das quartas.

Cristiano Ronaldo se despede da Copa do Mundo. Aos 37 anos, o astro português, detentor de inúmeros recordes desabou em lágrimas após o apito final. As câmeras da Fifa mostraram que CR7 não conteve o choro ainda na saída de campo e estava desolado enquanto caminhava para o vestiário da seleção portuguesa.

França está lá mais uma vez

A atual campeã do mundo chegou de novo. Com vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra, neste sábado (10), em um jogaço no estádio Al Bayt, a França se garantiu mais uma vez na semifinal da Copa. Os gols foram marcados por Tchouaméni e Giroud, em duas assistências de Griezmann. Harry Kane marcou de pênalti para os ingleses – e perdeu um outro, que poderia ter mandado a partida para a prorrogação.

Eles são velhos conhecidos – jogam juntos no Tottenham, da Inglaterra. E tiveram um duelo particular neste sábado. O atacante inglês Harry Kane parou no goleiro francês Hugo Lloris duas vezes na etapa inicial: primeiro ao girar sobre a marcação de Upamecano e sair de frente para o gol, depois ao arriscar de fora da área. Mas veio o segundo tempo, e um pênalti deu a chance para Kane finalmente bater o colega. O chute forte, seco, no canto, empatou a partida e tornou o atacante o maior artilheiro da história da seleção inglesa, empatado com Wayne Rooney. Mas haveria mais. Haveria mais um pênalti. E Kane, desta vez, não marcou. Isolou por cima, muito longe do gol defendido pelo amigo Hugo Llloris.

Em um jogo no qual Kylian Mbappé não chamou tanto a atenção, a França foi carregada pelo talento de outro craque. Griezmann comandou a vitória com duas assistências, uma para cada gol. De quebra, virou o maior garçom da história da seleção francesa, com 28 passes para gol, superando Thierry Henry.

Os confrontos das semifinais são os seguintes:

Dia                         Horário                                                Jogos                                    Local

Terça-feira (13)    2:00 pm (horário de Miami)     Argentina x Croácia         Estádio Al Lusail

Quarta-feira (14)  2:00 pm (horário de Miami)     França x Marrocos           Estádio Al Bayt 

Baixe nosso aplicativo