Brasil extradita comerciante que usava Smoke Shop para vender drogas em Iowa

Individuo vendia k2 em embalagens de incensos e sais de banho; ele fugiu para o Brasil em 2013 e, desde então, estava sendo procurado pela Interpol

0
905
O jordaniano Mohammad Al Sharairei, 47 anos (foto: US. Justice Department)

Uma investigação que começou em 2013 terminou nesta terça-feira com a prisão de Mohammad Al Sharairei, de 47 anos.  Ele foi extraditado do Brasil para os EUA e pode ser sentenciado a 40 anos de prisão pelo tribunal de Iowa por usar sua Smoke Shop na cidade de Cedar Rapids para distribuir um tipo de droga conhecido como k2. 

De acordo com o U.S. Justice Department, após uma investigação, agentes federais invadiram a loja e apreenderam milhares de pacotes da droga em embalagens de incensos e sais de banhos. O material tinha o aviso “impróprio para consumo humano”. A k2 é um tipo de droga que mistura cannabidinol e outras substancias químicas e está associada a graves efeitos psicológicos e físicos, incluindo morte.

Segundo as autoridades, em quase dois anos de atividade, o estabelecimento de Mohammad arrecadou mais de $1,3 milhão com o comércio ilegal. Na ocasião, o suspeito foi acusado de tráfico, mas fugiu para o Brasil antes da audiência de julgamento. Ele tem nacionalidade jordaniana e constava na lista de procurados da Interpol. O pedido de extradição foi aceito em fevereiro pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na cidade de São Paulo, o réu se passava por refugiado sírio.

Ele aguarda sentença que será proferida pelo juiz do Tribunal Distrital Leonard Strand. Uma multa de $ 1,5 milhão foi estabelecida e $ 425 mil em rendimentos da operação de venda das drogas foram confiscados das contas bancarias do acusado. O caso foi investigado como parte do programa da Força-Tarefa de Repressão às Drogas do Crime Organizado (OCDETF) do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.