Antonio Tozzi Esportes

Boletim da Copa | Brasil sofre para vencer Suíça e mostra que Neymar faz falta à seleção

A polêmica que tomou conta das redes sociais revelou que uma das partes estava certa. Realmente, a ausência de Neymar foi preponderante para a falta de criatividade demonstrada em campo pela Seleção Brasileira diante da Suíça na partida realizada nesta segunda-feira (28) no 947 Stadium, no Catar, em jogo válido pelo Grupo G. A vitória de 1 a 0, com um belo gol de Casemiro, serviu para carimbar a passagem do Brasil para as oitavas de final, mesmo restando a partida contra Camarões, marcada para a sexta-feira (2).

O resultado foi importante, mas o futebol apresentado por nosso escrete deixou a desejar. Claro que é muito difícil enfrentar a Suíça, uma equipe que sabe se defender muito bem, mas o meio campo formado por Casemiro, Lucas Paquetá e Fred não funcionou na primeira etapa. Os atacantes (Raphinha, Richsarlison e Vini Jr.) quase não recebiam bolas em boas condições para arrematar ou mesmo para enfrentar os zagueiros adversários.

As trocas de Fred por Bruno Guimarães e de Lucas Paquetá por Rodrygo deram mais dinâmica ao meio de campo e o Brasil começou a criar oportunidades, sobretudo com Vini Jr., que foi nosso melhor atacante, embora tenha pecado um pouco nas tomadas de decisão. Ele até mesmo marcou um gol, após um belo passe de Casemiro (este, sim, o craque do jogo!), mas Richarlison estava em posição de impedimento no início da jogada e o gol foi bem anulado. Richarlison e Raphinha faziam uma partida apagada e o ataque até mostrou mais vitalidade após as entradas de Antony e Gabriel Jesus. Eles se movimentaram mais e perturbaram o sistema defensivo dos europeus. De tanto insistir, o Brasil chegou ao gol com uma bela triangulação entre Rodrygo, Vini Jr. e Casemiro, que culminou com um chute indefensável para Sommer, o bom goleiro suíço.

Esse posicionamento mais ofensivo demonstrou para Tite que ele precisa apostar nos jogadores mais talentosos, se quiser vencer as partidas. E a partida contra Camarões é um bom teste para avaliar novas formações, até que Neymar possa retornar ao time. Sua presença é fundamental porque, mesmo jogando mal, ele atrai dois ou três marcadores, abrindo assim espaços para seus companheiros executarem as jogadas.

A última rodada do Grupo G está marcada para a próxima sexta-feira, às 2:00 pm (horário de Miami), com os jogos Brasil x Camarões e Suíça x Sérvia. O Brasil já está classificado e praticamente assegurou o primeiro lugar do Grupo. Os outros três disputam a segunda vaga. A Suíça está no segundo lugar com três pontos e dificilmente não se classificará apenas com um empate com a Sérvia. A seleção dos Balcãs precisa derrotar a Suíça e torcer por uma vitória do Brasil sobre Camarões. Os africanos precisam derrotar o Brasil e torcer por um empate entre os europeus.

Sérvia e Camarões fazem um jogo para ficar na história

O confronto entre Sérvia e Camarões é até aqui o jogo mais emocionante desta Copa do Mundo Catar 2022. Os africanos saíram na frente com um gol do zagueiro Casteletto e depois tomaram a virada com gols de Pavlovic e Sergej Milinkovic-Savic, ainda no primeiro tempo.

Na segunda etapa, Mitrovic ampliou para os sérvios e tudo indicava que eles assegurariam a vitória. Entretanto, uma alteração do técnico Rigobert Song mudou a cara da partida. O atacante Aboubakar recebeu um lançamento em profundidade e saiu na cara de Vanja Milinkovic-Savic. Com um toque genial encobriu o arqueiro e diminuiu a vantagem da Sérvia. Poucos minutos depois, Aboubakar fez grande jogada pela direita e cruzou para o gol de Chopo-Mouting empatar a partida em 3 a 3, placar que perdurou até o final, nesta segunda-feira (28)

O empate evitou a eliminação da seleção de Camarões ainda na segunda rodada do Grupo G da Fase de Grupos. Eles encerram sua participação na Fase de Grupos enfrentando a Seleção Canarinho, já classificada para as oitavas de final, enquanto a Sérvia medirá forças com a Suíça no mesmo dia.

Gana e Coreia do Sul fazem outro jogaço

Se Sérvia e Camarões deixaram os espectadores ligados o tempo todo, o jogo entre Gana e Coreia do Sul também foi eletrizante. A partida válida pelo Grupo H, disputada no Estádio Cidade da Educação nesta segunda-feira (28), mostrou uma disposição incrível  das duas equipes em busca da vitória.

Os africanos saíram na frente com gols de Kudus e Salisu, entretanto, os coreanos reagiram e empataram a partida com dois gols marcados por Cho Guen-Sung. Kudus fez o gol da vitória dos camaroneses na etapa final. Mas as equipes se revezaram nos ataques e ambas tiveram possibilidades de marcar mais gols, sobretudo os artilheiros Cho Guen-Sung e Kudus.

Com a vitória, Camarões assumiu o segundo lugar do Grupo H e depende só de si para passar às oitavas de final na próxima sexta-feira (2), quando enfrentarão o Uruguai. Já a Coreia do Sul terá tarefa difícil diante de Portugal no mesmo dia e no mesmo horário: 11:00 am (horário de Miami).

Portugal derrota Uruguai e é a terceira seleção com 100% de aproveitamento até agora

A exemplo de França e Brasil, a seleção portuguesa carimbou sua passagem para as oitavas de final da Copa do Mundo Catar 2022, ao vencer o Uruguai por 2 a 0 nesta segunda-feira (28) no Estádio Lusail. Os dois gols foram marcados por Bruno Fernandes, ambos de bola parada: o primeiro foi em uma cobrança de falta e o segundo foi de pênalti.

As duas seleções favoritas do Grupo H começaram de maneira distinta. Enquanto os europeus procuravam o ataque, os sul-americanos se resguardavam na defesa, transformando a partida em um espetáculo com poucas oportunidade de gols. Após o primeiro gol português, no entanto, o técnico uruguaio começou a mexer na equipe e colocou jogadores mais ofensivos – até mesmo De Arrascaeta fez sua estreia na Copa do Mundo – e passou a pressionar a defesa de Portugal. Apesar das boas chances criadas, os uruguaios não conseguiram converter o gol de empate e ainda sofreram o segundo gol nos acréscimos.

A derrota dificultou demais a vida do Uruguai no Grupo H. Com o resultado, a Celeste terminou a 2ª rodada na lanterna, com apenas um ponto conquistado. Para se classificar, a equipe precisa vencer Gana e torcer por vitória portuguesa ou empate no outro jogo do grupo. Caso a Coreia do Sul vença, os uruguaios precisam bater os ganeses por três gols ou mais de diferença.

Espectador invade campo de Portugal x Uruguai com bandeira LGBTQIAP+

É inevitável. Todo grande evento esportivo alguém invade o campo, a pista de atletismo ou interrompe uma maratona. O jogo entre Portugal e Uruguai, última partida da segunda rodada do Grupo H, foi interrompido após uma invasão no gramado. Um espectador portando uma bandeira com as cores do arco-íris, de tema LGBTQIAP+, entrou no campo aos cinco minutos do segundo tempo. Ele foi derrubado e retirado por dois seguranças do estádio Lusail, mas fez seu “protesto”.

Segundo o ge.com, além da bandeira de temática LGBTQIAP+, o espectador também usava uma camisa pedindo respeito às mulheres iranianas nas costas e com a inscrição “Salve a Ucrânia” na frente.

A fim de entender esta polêmica, transcrevo a reportagem publicada no ge.com, dando o devido crédito: “O ‘penetra’ é o italiano Mário Ferri, o ‘Falcão’, famoso por invadir gramados em jogos de futebol com a camisa do Super-Homem. Ele inclusive já invadiu o campo em Copas do Mundo: em 2010, entrou no campo durante a semifinal entre Espanha e Alemanha; em 2014, invadiu as oitavas de final entre Bélgica e EUA.

Símbolos LGBTQIAP+ viraram centro de muita polêmica na Copa do Mundo do Catar, devido ao tratamento dado no país a pessoas com orientações sexuais que não sejam heterossexuais. Um dirigente catari recomendou que bandeiras com as cores do arco-íris sejam evitadas pelos visitantes durante o torneio, para que seus portadores não corram risco de agressão.

A polêmica cresceu com a proibição da Fifa ao uso da braçadeira ‘One Love’, que tem símbolos coloridos em apoio à diversidade. Já houve relatos de espectadores da Copa de que teriam sido abordados por forças de segurança com ameaças de confisco de bandeiras e camisas com desenhos do arco-íris.

Outra polêmica envolve os protestos contra a polícia da moralidade iraniana, após a morte da jovem Mahsa Amini, de 22 anos, presa por por supostamente violar leis do Irã que exigem que as mulheres cubram os cabelos com um hijab. Muitos torcedores iranianos têm usado os jogos para protestar, e uma torcedora que vestia a camisa da seleção com o nome e idade de Amini foi abordada pelos seguranças do torneio.

A Fifa proíbe manifestações de cunho político nos jogos da Copa do Mundo. Algumas seleções encontraram formas criativas de driblar o veto: os jogadores do Irã não cantaram o hino do país na estreia, os jogadores da Alemanha taparam a boca antes da foto pré-jogo em seu jogo contra o Japão, e a Inglaterra vem ajoelhando no gramado antes de cada partida.”

Baixe nosso aplicativo