Brasileira que colocou recém-nascida no lixo em Boca Raton pega 7 anos e meio de cadeia

Sentença foi dada nesta quarta-feira pelo tribunal do condado de Palm Beach; menina foi resgatada e vive com o pai

0
2781
Rafaelle Sousa foi presa em 2019 (foto: WPTV)
Rafaelle Sousa foi presa em 2019 (foto: WPTV)

A brasileira Rafaelle Sousa se declarou culpada nesta quarta-feira (27)  das acusações de tentativa de assassinato em primeiro grau e abuso infantil, perante o tribunal do condado de Palm Beach, na Flórida. Em 2019, a mulher que tem hoje 38 anos, abandonou a filha recém-nascida dentro de uma lata de lixo na cidade de Boca Raton. O caso chocou a comunidade e teve grande repercussão em todo o estado.

Pelos crimes, ela foi condenada a passar sete anos e meio na prisão, dos quais já cumpriu três. Por ser imigrante indocumentada, ela já tem um mandado para ficar sob custódia da ICE e ser expulsa do país após concluída a sentença.

O xerife que investigou o episódio na época detalhou que, depois do parto, na noite do dia 8 de maio, Rafaelle envolveu a bebê em uma sacola e a colocou dentro de um dumpster na entrada do complexo de apartamentos Boca Entrada Boulevard, em West Boca.

Funcionários do condomínio ouviram um choro e, ao constatar que se tratava de uma criança, ligaram para a polícia. Por volta das 10:47 p.m., agentes armados foram até o apartamento de Rafaelle e a levaram para a cadeia sem direito a fiança.

Durante uma  sessão de julgamento em 2020, os advogados de defesa da brasileira afirmaram que ela deu à luz sozinha em casa, mas até três horas depois de criança nascer, ela não se movia e tinha uma aparência azulada. Em um ato de total desespero, e acreditando que a menina estava morta, Rafaelle envolveu-a em uma sacola plástica e deixou em um container de lixo. A brasileira teria ainda voltado para confirmar que a bebê não estava viva, mas não se aproximou porque havia pessoas no local.

A criança foi transportada para o hospital e, na sequência ficou em abrigo até que o pai, Carlos Jimenes Martins, assumiu a guarda da filha. Segundo Carlos, ele não sabia que a esposa estava grávida. Versão que foi confirmada por vizinhos brasileiros da mulher, que também afirmaram não saber da gestação.

A menina, que completou três anos, recebeu o nome de Sarah.