Brasileira relata momentos de terror ao ser atacada por desconhecido em Miami

Segundo relato da vítima, que pulou de um carro em movimento, homem a atingiu com taco de beisebol e a sequestrou

0
18667
Rita antes e depois do acidente
Rita antes e depois do acidente

A brasileira Rita Valentina, moradora de Miami, passou por momentos de terror nas mãos de um homem no último dia 2 de maio. Segundo Rita, ela decidiu contar a história para alertar outras mulheres para redobrem a atenção ao andarem sozinhas.

Ela conta que estava caminhando em direção ao seu carro, próximo ao aeroporto de Miami, por volta de 8:30 da noite, quando sentiu uma pancada na cabeça e desmaiou. O homem então carregou Rita e a colocou dentro de seu carro.   “O homem me levou em seu carro e ainda desmaiada continuou me golpeando, em uma dessas pancadas eu acordei por causa da intensa dor que senti (no hospital soube que tinha duas costelas fraturadas) e entendi o que estava acontecendo. Tive que escolher em ficar ali para morrer ou me jogar do carro, que estava em alta velocidade. Não era uma escolha fácil, eu perdi a coragem quando abri a porta, mal podia ver o asfalto passando de tão rápido, mas sabia que seria a única chance, orei a Deus e pulei”, postou Rita em seu Facebook.

Com a queda, Rita se machucou muito e ficou internada por uma semana. Ela foi resgatada por uma ambulância e acompanhada de perto por dois detetives, que estão investigando o caso, mas ainda não têm pistas do suspeito. “Foram $48 mil de conta de hospital e ainda estou fazendo curativos, então, a conta deve aumentar.  Voltei ao hospital nesta semana para duas ressonâncias, uma na cabeça, para saber se não tinha se formado um coágulo, e outra nas costelas quebradas”, contou. Ela afirma que relutou muito em divulgar sua história, mas decidiu contar os momentos terríveis pelos quais passou. “Não mostrar aqui o que estamos cansados de saber que existe no mundo, significaria para mim falta de humildade em reconhecer minha fragilidade num momento tão difícil. Estou muito agradecida a Deus por estar viva”.

E faz um alerta: “Claro que não se compara o índice de violência entre Brasil e Estados Unidos, mas eu, de verdade , mesmo sabendo que aqui vira e mexe se tem notícias de “um louco” atirador ou sabe se lá o que,  jamais imaginei passar por isso aqui. Então não faça como eu, eu estava um pouco distraída buscando a chave do meu carro dentro da bolsa em um bairro mais afastado”.

Os amigos de Rita vão criar uma página no GoFundMe para ajudar a brasileira a cobrir as despesas hospitalares, já que ela vai ficar pelo menos dois meses afastada do trabalho. “Investigadores e policiais estiveram comigo por cinco dias buscando todos os detalhes que eu poderia relatar, minha oração é que encontrem esse doente, certamente ele fará mais vítimas”, finalizou Rita.

Quem puder ajudar a brasileira, basta entrar na página https://www.gofundme.com/rita-valentina-medical-bills?r=77792