Brasileira se recupera bem após retirada de tumor raro no rosto

A pequena Melyssa não vê a hora de voltar para casa em Guarulhos (SP); médicos na Louisiana retiraram tumor de 2,5kg

0
5552
Carol e a filha Mel livre do tumor de 2,5kg
Carol e a filha Mel livre do tumor de 2,5kg

A luta da brasileirinha Melyssa Braga, que tinha um grande e raríssimo tumor no rosto, está bem perto de chegar ao fim. Depois de ser operada no dia 20 de dezembro no hospital LSU Health Shreveport, em Louisiana, por uma equipe especializada em cabeça e pescoço, a menina está se recuperando bem e deve ter alta até o final do mês. A família ainda deve permanecer nos EUA por mais um tempo até que ela seja liberada para voltar ao Brasil. A cirurgia, liderada por um especialista brasileiro que prefere não ser identificado, durou oito horas e meia e foi considerada um sucesso pelos médicos.

Mel, como é chamada carinhosamente pela família, sofreu muito com o tumor no rosto que a impedia até mesmo de se alimentar. Isso sem contar o desconforto e o fato de ser olhada e parada na rua, já que atraía a atenção das pessoas. Hoje, livre do corpo estranho que pesava dois quilos e meio, ela só quer voltar para casa em Guarulhos (SP) para ficar perto das avós. “Ela está tristinha porque não consegue entender o que está acontecendo. Acho que ela ainda nem sabe que está livre do tumor, ela só pede para ir embora para ficar com as avós que ela tanto ama”, disse Caroline Braga, mãe de Mel, em entrevista ao AcheiUSA.

Caroline tem apenas 21 anos e, ao lado do marido, já enfrentou duras batalhas com a filha desde quando ela tinha um ano e dois meses. Hoje ela tem outro bebê de um ano. Ela afirma que os médicos do Brasil já haviam desenganado a criança, diziam que era só questão de tempo e que ela morreria.  “Foi um milagre de Deus, não tenho dúvida, sempre tive muita fé. E quando esse médico brasileiro ofereceu ajuda, tive certeza disso. Hoje minha filha está curada e só tenho a agradecer”, afirma Caroline que nunca havia saído de São Paulo.

Entenda o caso

Melyssa viajou com os pais e irmão no dia 9 de dezembro para os Estados Unidos depois de uma grande campanha promovida pela família na internet para arrecadar dinheiro e buscar ajuda para o tratamento. Moradores de uma comunidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, Manassés e Caroline Braga conseguiram arrecadar com a ajuda de parentes e amigos R$ 80 mil. Também ganharam as passagens e ajuda para retirada do visto especial.

Um médico brasileiro que trabalha há anos nos Estados Unidos soube do caso de Melyssa, se interessou e entrou em contato com a família. Além da cirurgia, o hospital também ofereceu um apartamento para que eles se hospedem durante todo o tratamento da criança.

A família de Melyssa descobriu o câncer chamado sarcoma desmoide em 2014. Durante uma brincadeira com a filha, os pais perceberam que o pescoço dela estava com um nódulo. Foram ao médico e, sem exames, receberam o diagnóstico de íngua e indicação de tratamento. Após idas e vindas ao pronto socorro do convênio, exames, tomografias e médicos especialistas, a mãe, levou a filha na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e lá foi constatado o tumor.

Mel antes da cirurgia
Mel antes da cirurgia

Após uma semana internada, muitos exames feitos e o tumor ainda maior, iniciaram o tratamento com anti-hormônio, que durou cerca de dois meses. Sem o resultado esperado, deram sequência com quimioterapia durante três meses. Mas com a imunidade baixa, e pouco resultado, os médicos constaram que Mel não poderia receber mais sessões da medicação.

“A última que ela tomou foi em maio de 2015. Ela estava com imunidade zero, com os glóbulos brancos baixos. Ela foi internada duas semanas, porque o organismo dela não estava mais aguentando”, conta a mãe.

Em uma conversa com o médico, a família soube que a quimioterapia não estava dando o resultado esperado, que Mel não aguentaria outros tratamentos e que os pais deveriam decidir se ela seria operada. “Eu perguntei se ela morreria fazendo ou não a cirurgia e ele disse que sim. Eu não acreditava, eu chorava”, lembra a mãe. Hoje a família comemora a recuperação surpreendente da pequena.  (Com informações do G1)