Brasileirinho de cinco anos descobre asteroides confirmados pela Nasa

Miro Latansio Tsai, de São Paulo, é o mais jovem a descobrir asteroides no mundo e recebeu homenagem

0
534
Miro é reconhecido por caçar asteroides (Foto: Agência Brasil)
Miro é reconhecido por caçar asteroides (Foto: Agência Brasil)

DA REDAÇÃO – Um brasileirinho de cinco anos foi reconhecido como a pessoa mais jovem do mundo a identificar um asteroide. Natural de São Paulo, Miro Latansio Tsai, já descobriu 15 corpos celestes que foram aprovados em preliminares pelo IASC (International Astronomical Search Collaboration) e que serão confirmados pela NASA (Agência Espacial Americana).

O menino sempre se interessou por assuntos relacionados a astronomia e ciência. “Eu sempre gostei de ciência, astronomia de planetas: Marte, Júpiter, Saturno, Mercúrio e do Sol que é uma estrela”, diz o pequeno.

Segundo Carla Latansio, mãe de Miro, o interesse do garoto por astronomia é visível desde que ele era ainda menor. “Com dois anos ele sabia o nome de todos os planetas do sistema sola. Na primeira visita que fizemos ao Museu Catavento, em São Paulo, na entrada tinham todos os planetas na parede e ele foi passando e apontando os dedinhos e falando os nomes de todos”, exemplifica.

A curiosidade da criança por astronomia chamou a atenção dos pais e um dia, durante a quarentena Latansio viu um anúncio de um projeto Caça Asteroides e imaginou que seria interessante inscrever o garoto. Rapidamente ele já entendia como manusear o programa de computador que é utilizado para analisar imagens disponibilizadas pelo IASC/NASA. Foi por meio dessas fotos do programa que Miro conseguiu identificar 15 asteroides entre os meses de outubro e novembro de 2021.

Com esses resultados a mãe do estudante teve a ideia de criar um clubinho de astronomia em que o garoto ajudasse outras crianças a caçar asteroides. O projeto possui um perfil no Instagram @Astro_Miro e um grupo no Whatsapp, “Clubinho Astro Miro” onde são compartilhadas informações sobre astronomia, caça de asteroides e demais programas da NASA. “Eu abri o meu clube de astronomia porque os meus amigos gostaram tanto de ver minha medalha, então eu abri um clubinho para ensinar eles (sic)”, afirma o garoto.

O feito foi realizado no projeto Caça Asteroides que é organizado pelo IASC/NASA e conta com a participação de outras instituições ao redor do mundo. No Brasil o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) é o responsável pelo projeto. (Com informações da Agência Brasil)