Brasileiro acusado de contrabando de armas passa mal e audiência é adiada em Miami

Frederik Barbieri se sentiu mal na prisão e foi levado para hospital; homem é considerado um dos maiores traficantes de armas para o Brasil

0
3815
Armas que teriam sido enviadas ao Brasil por Frederick Barbieri
Armas que teriam sido enviadas ao Brasil por Frederick Barbieri

A audiência do brasileiro Frederik Barbieri, preso pelo U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE) na madrugada de sábado (24), passou mal na prisão e teve a audiência adiada. Ele seria ouvido nesta segunda-feira (26) pela Justiça em Miami. A princípio a audiência será realizada na terça-feira (27).

Barbieri, que tem casa em Port St. Lucie (FL), é investigado nos Estados Unidos por tráfico internacional de armas e está numa penitenciária americana. A estimativa, segundo a polícia, é que ele tenha mandado mais de mil fuzis e 300 mil munições de Miami para o Brasil.

Em junho de 2017, ele entrou na lista dos procurados pela Interpol. Barbieri é acusado de ter enviado ao Brasil, em maio do ano passado, uma carga de aquecedores de piscina recheada com 60 fuzis. Foi a maior apreensão de armas feita no Brasil em 10 anos, o que levou investigadores a considerarem Barbieri o maior traficante de armamentos do país.

O Ministério da Justiça pediu a extradição dele para o Brasil, mas, de acordo com o governo, houve um pedido de documentação complementar traduzida para o inglês. Frederik Barbieri é investigado em procedimentos criminais instaurados no Brasil e nos EUA.  Além da prisão, a polícia americana conseguiu impedir o envio de 40 fuzis para o Brasil.

Brasilero naturalizado americano, Barbieri seria o maior traficante de armas para o Brasil, segundo a polícia