Brasileiro é acusado de matar outro brasileiro em New Jersey

0
3307

Crime foi no dia 3 de julho e motivação teria sido para roubar dinheiro


Da Redação com Brazilian Voice – O brasileiro Filipe Amaral foi preso na sexta-feira (31) em Newark (NJ) acusado pelo assassinato a facadas do compatriota, Dário Rodrigues, no dia 3 de julho. A polícia chegou até o brasileiro depois de algumas investigações e o prendeu por latrocínio que é roubo seguido de morte.

A família da vítima já desconfiava de Filipe. Em entrevista ao jornal Estado de Minas, o filho de Dário, Filipe Castor, de 30 anos, disse que o suspeito de ter matado seu pai a golpes de faca devia dinheiro à vítima e havia sido expulso do apartamento por roubo. O dinheiro roubado no apartamento, cerca de $30 mil, ainda não foi encontrado.

“Desde o começo, o principal suspeito era ele. Sabemos disso porque o rapaz morava com o meu pai, que o ajudou a migrar do Brasil para os EUA. Ele já tinha roubado meu pai no início do ano e acabou expulso de casa”, disse Castor ao EM.

Durante as investigações, os parentes da vítima foram fundamentais na prisão de Fillipe Amaral, suspeito de ter matado Dario e revirado o apartamento. “Consegui acessar as informações do celular do meu pai, porque a nossa conta era a mesma e a senha também. Vimos as últimas ligações e mensagens. Nelas, o último a entrar em contato com meu pai foi ele”, detalhou Castor.

Aliviado com a prisão do suspeito, Filipe revelou que o pai era indocumentado nos EUA, portanto, tinha o hábito de guardar dinheiro em casa. “Meu pai vivia ilegal nos EUA, por isso, não tinha conta em banco e guardava o dinheiro em casa e o suspeito sabia disso. Na época, ele estava com aproximadamente $30 mil em casa. O dinheiro não foi recuperado”, disse Filipe.

A vítima e o acusado eram amigos e chegaram a morar juntos durante um tempo, no Ironbound. As investigações apontam que Dario ajudou financeiramente e alguns amigos afirmam que o crime foi devido à uma cobrança de uma dívida que o acusado tinha para com a vítima.

Dário estava nos Estados Unidos há cerca de oito anos e trabalhava, há um ano, como atendente na lanchonete Altas Horas, uma das mais frequentadas pela comunidade brasileira em Newark. Ele deixou a esposa e um casal de filhos. Os amigos e conhecidos disseram que o mineiro era uma pessoa discreta, que não se envolvia em confusões e era bastante dedicado ao trabalho.

Como ele sempre chegava 15 minutos antes de iniciar o expediente, os colegas de trabalho começaram a desconfiar, pois na noite de quinta-feira (2) ele não foi trabalhar. Ele não atendia os telefonemas e ninguém conseguia contato.

Nesta mesma noite, um amigo foi à casa do mineiro e viu todas as luzes apagadas. Preocupado com possíveis problemas de saúde, ele entrou em contato com o dono prédio que abriu as portas do apartamento. O corpo de Dário estava caído na sala e imediatamente a polícia foi chamada. O local foi solado e uma equipe médica declarou o brasileiro morto ainda no local.