Brasileiro é vítima de sequestro relâmpago em Aventura (FL)

“Foi a pior sensação da minha vida. Eu tive certeza de que iria morrer”, disse o chef de cozinha, que estava a caminho do trabalho quando foi abordado por dois homens

0
2509
Santa-Fé
Carro da vítima foi utilizado no crime e encontrado horas depois

O domingo (2) seria de muito trabalho para o brasileiro Alfredo Farias, chef executivo de uma rede de restaurantes que opera no Miami International Airport (MIA), já que haveria uma festa do Super Bowl em um dos restaurantes e ele teria que deixar tudo preparado. Alfredo, que mora em Aventura (FL), saiu de casa por volta de 4:30 da manhã para ir para o trabalho, quando percebeu que um dos pneus de sua Hyundai Santa Fe estava vazio e parou no posto de gasolina mais próximo para encher.

“Desci do carro com o cartão do banco na mão para passar na máquina e calibrar o pneu. Avistei dois homens vestidos com moletom de capuz e achei estranho, mas continuei e parei em frente à máquina. Não tive nem tempo de calibrar o pneu, quando um deles me abordou com um revólver e me mandou entrar no meu carro. Fui na direção da porta do motorista, mas ele me jogou no chão, na parte de trás”, relata.

Alfredo contou com exclusividade ao AcheiUSA que, naquele momento, teve certeza de que iria morrer. Um dos bandidos seguiu dirigindo o carro e o outro ficou com ele no banco de trás com a arma encostada na sua costela. “Ele me jogou no chão do carro e neste momento eu só pensava nas minhas filhas (ele é pai de duas meninas) e na minha esposa. Eu tive certeza de que minha vida acabaria ali”.

Os bandidos então seguiram com Alfredo até o caixa eletrônico do banco Chase, que era o cartão que ele estava na mão no posto de gasolina, e conseguiram sacar $1 mil. O chef conseguiu colocar sua carteira embaixo do tapete do banco de trás e os bandidos não viram. Eles rodaram com a vítima por aproximadamente uma hora e, segundo ele, gritavam (em inglês) o tempo todo que iriam matá-lo, que queriam mais dinheiro. Eles também levaram o Iphone e o Apple Watch de Alfredo, que foi obrigado a resetar o telefone para que não fosse rastreado.

Quando chegaram a Miami Gardens, eles mandaram Alfredo descer do veículo. “Quando eu desci do carro no meio da rua (Palmetto Park Rd) eu pensei que eles fossem atirar e me liquidar ali, daí comecei a correr, corri por uns 40 minutos, até chegar a um posto de gasolina para buscar ajuda”.

A polícia fez todos os procedimentos de perícia no carro e na vítima, colheram DNA, mas ainda não tem pistas dos bandidos. O carro foi encontrado horas depois sem danos. A carteira também, por sorte, ele recuperou debaixo do tapete. “Passei pelos piores momentos da minha vida. Nós sabemos que a violência existe, mas nunca tão perto de nós. Fica o alerta para os brasileiros que vivem aqui nos EUA e pensam que estão livres de serem vítimas de crimes”.