Brasileiro envia mensagem para Obama e se surpreende ao receber resposta

Depois de assistir ao discurso do presidente na Convenção Democrata, Bruno enviou um e-mail de agradecimento a Obama e nunca esperava que seria respondido

0
10479
Bruno Garcia vive com a família em New York. No destaque, resposta da Casa Branca
Bruno Garcia vive com a família em New York. No destaque, resposta da Casa Branca

DA REDAÇÃO – O discurso do presidente Barack Obama na Convenção do Partido Democrata, que nomeou oficialmente Hillary Clinton como candidata à presidência, despertou um sentimento de gratidão no brasileiro Bruno Garcia, de 36 anos. Empolgado com as palavras do presidente, Bruno decidiu agradecer a Obama por tudo o que ele fez nesses oito anos de mandato e por todas as mudanças positivas que o paulistano viu acontecer nesse período. Vinte dias depois, Bruno recebeu uma resposta assinada pelo presidente.

“Eu tinha acabado de chegar de Washington de uma viagem de trabalho, estava assistindo o discurso de Obama na TV e decidi enviar uma mensagem pelo site da Casa Branca. Cliquei no ícone ‘fale com o presidente’ e enviei um recado em agradecimento a tudo que ele fez pelo país nos últimos oito anos. Passados 20 dias, qual não foi minha surpresa, recebi um e-mail da Casa Branca. Na hora que eu vi pensei que fosse propaganda, levei um susto”, disse Bruno ao AcheiUSA.

Resposta da Casa Branca ao brasileiro
Resposta da Casa Branca ao brasileiro

Em papel timbrado da Casa Branca, o presidente começou com “Querido, Bruno” e escreveu que “mais do que minha presidência, o otimismo e o trabalho duro de pessoas como você que mudaram nosso país para melhor. A América ainda tem muitos desafios para enfrentar (…). O sucesso depende de as pessoas aumentarem suas vozes e rejeitarem a cínica ideia de que o progresso não é possível. Vou manter seu apoio em mente e continuar fazendo tudo o que posso para realizar a mudança que tanto buscamos”, diz a carta.

A história de Bruno é bem parecida com a de milhares de imigrantes brasileiros. Ele chegou em 2007 com a esposa, morou em Parkland (FL), teve três filhas. Com sua empresa de transportes para turistas perdendo fôlego na Flórida, ele resolveu se mudar para Boston (MA) e depois para New York onde se estabeleceu e vive desde 2011. 

“Cheguei neste País em 2007, pouco antes da crise econômica explodir e consegui realizar os meus objetivos e da minha família. Obama está entregando os EUA muito melhor do que ele pegou e só temos a agradecer. Hoje eu dou emprego para americanos”, finalizou.