Brasileiro ‘Meu nome é Bagdá’ é premiado no Festival de Berlim

Mostra é voltada a cineastas jovens e os jurados têm idades entre 14 e 18 anos

0
833
Cena do filme Meu Nome é Bagdá (Foto: Divulgação)
Cena do filme Meu Nome é Bagdá (Foto: Divulgação)

DA REDAÇÃO – O filme brasileiro “Meu Nome É Bagdá”, de Caru Alves de Souza, venceu o Grande Prêmio do Júri Internacional da mostra Generation 14plus de Melhor Filme, do Festival de Cinema de Berlim 2020. O anúncio foi feito na cerimônia realizada na noite da sexta-feira, 28. Essa mostra é voltada a cineastas jovens e os jurados têm idades entre 14 e 18 anos. 

Inspirado no livro Bagdá, o Skatista, de Toni Brandão, o filme conta a história de uma jovem de 17 anos chamada Bagdá, que convive com amigos skatistas até tornar-se muito próxima de Vanessa, outra skatista, com quem encontra outras meninas skatistas.

Pesquisando sobre skate, Caru chegou à pista da Praça Roosevelt, em São Paulo, e descobriu as garotas que têm de superar o preconceito para usufruir daquele espaço. O filme tomou outro rumo. Mulheres causando nas ruas, lutado por seus direitos, sua voz. Dos numerosos filmes brasileiros na Berlinale de 2020, Bagdá foi ao pódio

O filme é um possível candidato ao Festival de Gramado. “Ainda não sabemos”, disse o diretor, ao lado do produtor. “O filme deve passar em festivais internacionais e, por se tratar de coprodução brasileira, vamos ver também o Brasil. Ainda não temos nada definido. Só estamos curtindo a alegria dessa vitória inesperada.”