Brasileiros devem dar entrada em processos imigratórios o quanto antes, diz advogado

“Essas medidas restritivas do governo são temporárias e, quanto mais cedo o imigrante der entrada nos documentos, melhor”, diz Alexandre Piquet

0
2721
Alexandre Piquet, advogado de imigração do escritório Piquet Law Firm, localizado em Miami (Foto: Divulgação)
Alexandre Piquet, advogado de imigração do escritório Piquet Law Firm, localizado em Miami (Foto: Divulgação)

O governo americano impôs diversas medidas restritivas recentes a estrangeiros devido à pandemia do coronavírus, entre elas, a suspensão da emissão de green cards e vistos de trabalho até o fim do ano e a proibição da entrada de turistas brasileiros no País.

O advogado de imigração Alexandre Piquet, do escritório Piquet Law Firm, localizado em Miami, afirma que essas restrições são temporárias e que o imigrante apto a dar entrada em qualquer visto, deve fazê-lo o quanto antes. 

“Apesar de todas essas medidas restritivas do governo, o imigrante que se enquadre nas mais de 180 categorias de vistos disponíveis, deve se apressar e dar entrada no processo o quanto antes. Trump suspendeu quatro tipos de visto em um universo de mais de cem”, ressalta o advogado. “Tenho observado muitas pessoas com medo, achando que é o fim da imigração para os Estados Unidos, mas isso não é verdade. Essas medidas são temporárias, vão passar e os candidatos a vistos devem dar início ao processo logo”. 

Piquet cita como exemplo os vistos O (de habilidades especiais), o F1 (estudantes), o DACA (Deferred Action for Childhood Arrivals) e os vistos para investidores, o EB1, EB2 e EB5, que não tem nenhum tipo de restrição no momento. 

Para os vistos cuja emissão foi suspensa temporariamente – H-1B ou H-2B — trabalhadores das áreas que requerem alto grau de especialização ou trabalhos temporários ou sazonais;  visto J-1 — concedido a professores, pesquisadores e au-pair em regime de intercâmbio; vistos L-1, que é dado a profissionais transferidos aos EUA pela empresa onde atua – o advogado lembra que a medida foi para preservar os empregos dos americanos.

Segundo o advogado, as pessoas que já deram, deram entrada nesses tipos de visto, terão que aguardar mais tempo pela aprovação ou renovação, mas que tudo isso é temporário.

“Gosto de lembrar aos clientes que geralmente os processos são demorados. Após recolhermos os documentos necessários e darmos entrada no processo, frequentemente a imigração solicita mais evidências comprobatórias. Por isso sempre reforço que quanto mais cedo dermos entrada, melhor”.

Este ano o advogado Alexandre Piquet completa 20 anos nos Estados Unidos e uma década de fundação da Piquet Law Firm, um escritório de advocacia constituído na Florida que presta serviço jurídico nas áreas do direito imobiliário, imigratório, empresarial e tributário. Sua equipe é composta por advogados brasileiros formados e licenciados nos Estados Unidos, com vasta experiência na assistência a clientes do Brasil, que desejam estabelecer negócios ou residência nos Estados Unidos. Os números são expressivos: 21 mil clientes cadastrados de 35 nacionalidades, $1.3 bilhão em transações imobiliárias assessoradas, 2.200 empresas implementadas e representadas, 14 premiações jurídicas nos EUA e 185 palestras e seminários realizados. 

Para mais informações acesse: www.piquetlawfirm.com, whatsapp: +1 (786) 812-2930 ou pelo telefone: +1 (786) 558-8054.