Brazilian Voices festeja 15 anos com bossa nova em Aventura

Coral de vozes femininas do sul da Flórida fará apresentação só com clássicos do gênero no dia 30

0
1305

DA REDAÇÃO – A ideia era divulgar a música brasileira no exterior. Adicionou-se a isso, a restrição de que só mulheres poderiam cantar. E assim nasceu o coral Brazilian Voices, composto apenas por vozes femininas do sul da Flórida, e que em 2016 celebra seu 15º ano de existência.

Fundado e capitaneado por Loren Oliveira e Beatriz Malnic, o grupo se define como uma organização sem fins lucrativos e é considerado um ícone cultural da comunidade brasileira, tendo se apresentado em locais como New York, Londres, Barcelona e Madri, além, é claro, da Flórida. Ao longo dessa década e meia de existência, o Brazilian Voices já gravou 7 discos.

Os êxitos são muitos, mas o coral não quer parar por aí e deseja continuar a “promover a cultura brasileira em escolas, hospitais, centros de tratamento de câncer, asilos, além dos grandes concertos com excelentes músicos profissionais”, nas palavras de Beatriz – que junto a Loren bateram um papo com o AcheiUSA. Confira a seguir.

AcheiUSA: Qual o momento mais marcante do Brazilian Voices nestes 15 anos?
Loren Oliveira: Mais de 170 cantoras já participaram da organização durante esses 15 anos e com certeza cada uma delas teria um momento marcante e significativo para compartilhar. Foram muitos encontros e despedidas, muitas lágrimas de saudades, música e risos. Pessoalmente, sempre me recordo da emoção que sentimos quando entramos no palco do Broward Center em 2007 com o teatro lotado de crianças e professores exaltando o Brasil e gritando (com placas feitas à mão) “God Bless Brazil”, “Brazilian Voices We Love You”. A reação das crianças foi uma surpresa inacreditável para todas as cantoras, bailarinos, capoeiristas, equipe técnica, e a partir daí, expandimos as ações do projeto Cultural & Educacional com grande sucesso para mais de 15 mil crianças incluindo parcerias com universidades e escolas do ensino público e privado no sul da Flórida.

O projeto Arts & Healing do Brazilian Voices também nos presenteou com momentos intensos. Levar alegria através do ritmo e melodia da Bossa Nova para pacientes e familiares, médicos e enfermeiras se tornou uma de nossas atividades semanais favoritas, com uma gama de emoções que navega entre a vida e a morte. E ali seguimos cantando, conscientes da missão e poder da música na vida das pessoas e na medicina integrativa.

AU: O trabalho de mostrar canções cantadas por brasileiras para o público americano foi aceito de forma fácil?
LO: O Brazilian Voices foi conquistando o público americano gradativamente através de muito esforço e dedicação das integrantes e voluntários que têm como missão no coração, representar o Brasil, mesmo que sejam de outros países, como por exemplo as cantoras do BRV que são do Panamá, Argentina, Venezuela, Colômbia e New York, e que são apaixonadas pela música brasileira e aprendem o português e os arranjos vocais complexos.

Evidentemente que os nossos “embaixadores culturais” – Tom Jobim, João Gilberto, Sergio Mendes, entre outros gênios da música Brasileira – nos deixaram um legado, um tesouro musical nacional que reverbera mundialmente e por consequência, também uma grande responsabilidade de representar o nosso país através da música aqui nos EUA.

AU: Quais as canções e gêneros musicais do Brasil que mais fazem sucesso nos EUA pelo Brazilian Voices?
Beatriz Malnic: Claro que a Bossa Nova, por ter sido veiculada e interpretada por tantos músicos norte-americanos, como Stan Getz, Frank Sinatra e Ella Fitzgerald, conquistou um espaço importantíssimo no cenário musical dos EUA, numa época em que o jazz buscava por novas influências. O público que gosta de jazz, aprecia muitíssimo a nossa música brasileira, a bossa nova. Porém, gostamos de apresentar vários outros estilos musicais e ritmos brasileiros, que são riquíssimos! Os ritmos brasileiros (samba, axé, forró, baião e outros) fazem muito sucesso entre músicos e interessados na música do Brasil. Entre cançöes podemos citar várias: “Aquarela do Brasil”, “Samba de Verão”, “Garota de Ipanema”, “Wave”, entre outras que inclusive apresentaremos em nosso show “Bossa Nova”

AU: Onde o Brazilian Voices se vê nos próximos 5 anos? O que o grupo quer estar fazendo ao completar 20 anos de atividade?
BM: O Brazilian Voices é patrocinado pelo governo americano através de recursos dos Condados de Broward e Miami-Dade e do Estado da Florida, FAB, pelas integrantes, doadores, empresas americanas e brasileiras. Também tem o apoio cultural de várias instituições e mídia local, como o AcheiUSA, que são nossos parceiros por muitos anos.

Através da expansão dos 4 departamentos, sempre com uma produção profissional, o Brazilian Voices conquistou um lugar de credibilidade, respeito e criatividade no mercado americano e com certeza almeja a manutenção a longo prazo de seus projetos, com uma plataforma financeira consistente e excelência artística, resultando em mais uma grande celebração em seus 20 anos.

Cantamos felizes onde estamos, na cidade de Weston, no meio do Everglades, com aproximadamente 142 ensaios por ano. Ali semeamos sonhos que desabrocham a cada ensaio ou gravação, quando estamos juntas fazendo o que amamos fazer: cantar!

Para celebrar o ano especial, o Brazilian Voices prepara diversas apresentações. A primeira delas, que dá partida nas comemorações, acontece em 30 de janeiro (sábado), às 8pm, no Aventura Arts & Cultural Center (3385 NE 188th St, Aventura, FL 33180). Contribuições e doações ao coral são aceitas via site, em brazilianvoices.org.