Cão que atacou mulher até a morte em Margate é submetido à eutanásia

O cão da raça american bulldog havia sido adotado pela família há três semanas quando aconteceu o incidente. Desde 1989 é proibido criar e/ou comercializar descendentes da raça pitbull em Miami-Dade

0
2304
Smokey foi adotado em um abrigo para animais em Miami-Dade (foto: captura de tela Local10 News)
Smokey foi adotado em um abrigo para animais em Miami-Dade (foto: captura de tela Local10 News)

Smokey, o american bulldog de cinco anos que atacou uma mulher de 84 anos até a morte em Margate, foi submetido à eutanásia nesta quinta-feira (3). O cão estava sendo mantido em um abrigo da polícia de Broward desde a segunda-feira passada (31), quando aconteceu o incidente.

Joe Varanese, filho da senhora que faleceu devido aos ataques do cão, disse à Local 10News que havia adotado o animal há apenas três semanas antes do ocorrido.

“Se eu tivesse uma arma, o mataria”, disse Varanese, de 57 anos, que estava presente quando a mãe, que era cadeirante, foi mordida várias vezes. “Ele matou um ser humano. Ele nunca deveria estar na sociedade”.

Joe disse que lutou com o cão para proteger a mãe, mas também foi mordido e teve que ir para o hospital.

Ele contou que adotou Smokey no abrigo de animais de Miami-Dade onde havia vários outros da mesma raça disponível para adoção.

Desde 1989 que um decreto local do condado proíbe criar e/ou comercializar pitbulls, american pitbull terriers; american staffordshire terriers; staffordshire bull terriers e todas os descendentes da mistura dessas raças.

Dahlia Canes, que dirige a Coalizão de Miami contra a Legislação Específica da Raça, disse que luta contra a proibição desses animais em Miami-Dade há anos.

“Quando você começa a generalizar qualquer coisa, você já começa a errar”, disse. “Especialmente quando se trata de raças de cães.”

Segundo ela é uma questão de tempo para que a proibição seja removida e que não há em outros condados, como Broward, proibições semelhantes em relação aos pits bulls.

“Quero expressar minhas condolências a toda a família – este foi um evento trágico para todos os envolvidos”, disse Canes. “Mas os cães não nascem assim”, continuou, “esse era um cachorro de resgate. Quem sabe o que aquele cachorro passou [antes de ser adotado], o que aquele cachorro foi treinado para fazer. Algo desencadeou o ataque”, concluiu.    

Joe Varanese disse que até o dia do ataque que vitimou sua mãe, Smokey não havia demonstrado nenhum sinal de agressividade.

“Ele jamais aparentou que fosse cruel ou violento”, disse Varanese. “Ele quase nunca latia.”