Casal brasileiro é acusado de fraudar cartões em três cidades de Massachusetts

De acordo com documentos da Corte, eles instalaram dispositivos em caixas eletrônicos para furtar os dados dos cartões

0
4493
Alexandre admitiu que instalou equipamentos para clonagem de cartões em ATMs
Alexandre admitiu que instalou equipamentos para clonagem de cartões em ATMs

Um casal de brasileiros foi acusado por instalar dispositivos para clonar cartões de débito em caixas eletrônicos em três cidades de Massachusetts. Alexandre Kawamura, de 42 anos, e Karem Kawamura, de 25 anos, foram responsabilizados pelos crimes de fraude e por usarem um equipamento para copiar informações de cartões de clientes.

De acordo com documentos da Corte, Alexandre foi flagrado por câmeras de segurança procurando por um dispositivo para clonagem em um ATM na cidade de Stoneahm. Ele foi parado pela polícia pouco tempo depois. Outros dispositivos similares foram encontrados nas cidades de Saugus e Medford, todas em Massachusetts.

Em 16 de março, um cliente do banco telefonou para a polícia local informando que havia encontrado e retirado um dispositivo de clonagem de um caixa eletrônico na unidade de Eastern Bank, em Stoneham.

A polícia respondeu ao chamado e descobriu que a câmera “pinhole” ainda estava conectada ao caixa eletrônico. Eles montaram vigilância enquanto o pessoal de segurança do banco monitorava as câmeras de vídeo, e pouco antes das 11p.m, Alexandre foi até o caixa eletrônico em um carro alugado, procurou pelo dispositivo de clonagem, mas não encontrou. Em seguida pegou o carro e saiu. A polícia seguiu e o interceptou pouco depois.

Kawamura apresentou um passaporte brasileiro com seu nome verdadeiro, mas alugou o veículo usando outro nome. O mesmo pseudônimo foi gravado em um cartão de crédito que estava com Alexandre quando ele foi preso, mas as informações da conta bancária contidas na tira magnética do cartão pertenciam a um cliente do banco, as quais foram obtidas através de um dispositivo em um dos caixas eletrônicos do Eastern Bank, dias antes.

Os registros da Eastern Bank mostraram que, no dia da prisão de Kawamura, o cartão falsificado foi usado em compras na Dick’s Sporting Goods, em Medford. A câmera de segurança da loja registrou os brasileiros naquela loja, comprando uma camisa, uma jaqueta e um chapéu.

Depois que Kawamura foi preso, agentes federais localizaram Karem no hotel Extended Stay America, em Woburn. No dia 30 de março, os agentes executaram um mandado de busca no quarto onde ela estava e encontraram a camisa, jaqueta e o chapéu que haviam sido comprados na Dick’s Sporting Goods.

A acusação de posse de equipamentos para fabricação de dispositivos de clonagem prevê uma sentença de não mais de 15 anos de prisão, três anos de liberdade supervisionada e uma multa de até $ $250.000. (Com informações do Boston Globe e Brazilian Times).