CBF lança campanha para despolitizar camisa amarela da seleção brasileira

Entidade quer que o uniforme deixe de ser associado aos apoiadores de Bolsonaro

0
1065
Campanha "Energia" quer dissociar a camisa amarela dos bolsonaristas. Foto: CBF

No domingo (6), a CBF  (Confederação Brasileira de Futebol) começou a veicular em emissoras de TV e nas redes sociais, a nova companha “Energia”, com o objetivo de despolitizar a camisa amarela da seleção brasileira. O vídeo com um minuto e 20 segundos é embalado por uma versão rap da música de Lulu Santos, “Tão bem”. O refrão diz: “Ela me faz tão bem, Ela me faz tão bem/Que eu também quero fazer isso por ela.” 

Segundo o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, a entidade já tinha tudo pronto. Assim que acabasse a eleição presidencial, a campanha viria à público com o objetivo de fazer com que “todos se sintam bem com a camisa da seleção”, afirmou Rodrigues. “Nossa mensagem é de incentivo. O futebol não vive sem o torcedor. E conectar as pessoas de todas as idades, lugares, cores, raças, ideologias e religiões ao futebol é o nosso propósito”, disse.

Desde 2015, quando iniciaram os protestos contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), a camisa da seleção brasileira passou a ser associada com os partidários de Jair Bolsonaro (PL), derrotado nas eleições presidenciais no final do mês passado pelo petista Luiz Inácio Lula da Silva.

A orientação da confederação é que, em todas as oportunidades, dirigentes, jogadores e comissão técnica reforcem a mensagem de união e despolitize o amarelo do uniforme, deixando a paixão pelo futebol falar mais alto. A estreia da seleção brasileira na Copa de Catar será no próximo dia 24, contra a Sérvia.