Chefe do Homeland Security afirma que redes sociais são verificadas em processos imigratórios

Discussão veio à tona depois que atirador de San Bernardino tinha visto de noivo e vários indícios terroristas em seu Facebook

0
1094

DA REDAÇÃO, COM YAHOO Muito cuidado com o excesso de exposição nas redes sociais. O Departamento de Imigração americano está de olho em quem tem pedidos de vistos e processos pendentes na imigração. De acordo com o chefe do Homeland Security, Jeh Johnson, o departamento vem consultando as mídias sociais de solicitantes de visto e residência desde o início deste ano, rebatendo as críticas de que as autoridades americanas não estão cumprindo o dever de casa para garantir a segurança das fronteiras.

A discussão veio à tona quando a imprensa divulgou que um dos atiradores que matou 14 pessoas na Califórnia no dia 2 de dezembro, entrou nos Estados Unidos com o K1 ou visto de noivo (fiancee visa). O Los Angeles Times afirmou que a atiradora tinha em sua página no Facebook mensagens claras de que apoiava os jihadistas islâmicos e, mesmo assim, conseguiu o visto.

Johnson disse que o Departamento de Imigração consulta as mídias sociais antes de conceder aos solicitantes benefícios imigratórios. “Nós temos políticas restritivas no que diz respeito às mídias sociais. Sob minha administração, nós começamos de fato a consultar a internet para conferir a veracidade das informações que recebemos”, reforçou o secretário. Ele acrescentou que a imigração tem um banco de dados amplo, além das redes sociais, para checar os antecedentes de quem quer se legalizar no país.

O monitoramento da internet foi o tema central do último debate dos Republicanos na terça-feira (16) em Los Angeles. Os candidatos defenderam um monitoramento mais intenso dos terroristas por meio da rede. Também na terça-feira, senadores Democratas enviaram uma carta a Johnson pedindo que o Departamento de Imigração consulte as mídias sociais de solicitantes de vistos.