Cidade do Minnesota tem noite de protestos após policial atirar e matar homem negro

Homem foi parado e morto pela polícia na tarde de domingo (11) em Brooklyn Center, cidade que fica a 10 milhas de onde George Floyd foi morto ano passado

0
1015
Centenas de pessoas foram às ruas de Brooklyn Center, subúrbio de Minneapolis, em Minnesota, protestar contra a morte de um homem negro (Foto: REUTERS/Nicholas Pfosi)
Centenas de pessoas foram às ruas de Brooklyn Center, subúrbio de Minneapolis, em Minnesota, protestar contra a morte de um homem negro (Foto: REUTERS/Nicholas Pfosi)

Centenas de pessoas foram às ruas de Brooklyn Center, subúrbio de Minneapolis, no Minnesota, protestar contra a morte de um homem negro, que levou um tiro de um policial depois de ser parado no trânsito na tarde de domingo (11). 

Segundo informações das autoridades, Daunte Wright, de 20 anos, foi parado pela polícia por volta de 2 da tarde de domingo. Os policiais tentaram prender Wright, que teria um mandado de prisão em aberto. Wright entrou no carro novamente e levou um tiro disparado por um policial. Ferido, ele dirigiu por alguns quarteirões até bater em outro carro. Ele morreu no local. 

Segundo a CNN, o jovem mandou uma mensagem para a mãe dizendo que estava sendo parado pela polícia. “Ele disse que foi parado porque havia um purificador de ar pendurado no retrovisor. Um minuto depois, eu liguei e sua namorada respondeu que ele tinha levado um tiro”, disse Katie Wright. “Ele não merecia morrer dessa maneira”. 

O incidente aconteceu em Brooklyn Center, cidade que fica a 10 milhas de onde George Floyd foi morto depois de o policial Derek Chauvin pisar em seu pescoço. As escolas da cidade estão fechadas nesta segunda-feira (12). 

O governador de Minnesota, Tim Walz, disse que estava “orando pela família de Daunte Wright, enquanto nosso estado lamenta outra vida de um homem negro levado por policiais”.

A Guarda Nacional de Minnesota foi enviada para Brooklyn Center, depois que cerca de 200 pessoas marcharam em direção ao departamento de polícia da cidade. Um grupo chegou a jogar pedras em policiais, que responderam com bombas de gás lacrimogêneo e tiros com balas de borracha. (Com informações da CNN)