Comissários Republicanos da Flórida ironizam origem imigrante de jornalista brasileira

Comissários do condado de Brevard aprovaram resolução em "homenagem" à jornalista Isadora Rangel que atua no estado: "Nosso PIB per capita é quase 10 vezes maior e temos aproximadamente um sexto da taxa de homicídios do país de onde ela vem"

0
2488
Isadora Rangel (foto: Facebook)

Como redatora de opinião do jornal Florida Today com sede no condado de Brevard, na Flórida, a jornalista brasileira Isadora Rangel criticou decisões de autoridades políticas locais.

Na última semana, ela saiu do Florida Today para começar em seu novo emprego no Miami Herald. Mas não sem que os comissários dos cinco distritos de Brevard, todos do Partido Republicano, aprovassem uma resolução “homenageando” a jornalista.

O documento foi lido no plenário do Brevard County Board of Commissioners no dia 9 de fevereiro pelo comissário John Tobia.

“Isadora Rangel serviu aos cidadãos de Brevard no papel de editora do Florida Today desde 2017 (…) e por causa de sua prosa eloquente a circulação do jornal caiu 16 por cento”, ironizou o comissário.

“Considerando que sua dedicação a Brevard é exemplificada por ela aceitar um cargo no Miami Herald apenas três anos depois de vir para cá”, continuou ele “seus pontos de vista liberais farão muita falta unicamente aos Democratas do condado”, completou.

A resolução foi aprovada por 5 a 0. Antes de encerrar a sessão, porém, outro comissário, Bryan Lober, pediu a palavra: “Durante seu trabalho no Florida Today, mrs. Rangel nunca aceitou o fato de que ela não pode votar em Brevard”, falou, referindo-se ao fato de a brasileira ser residente permanente nos EUA e ainda não ter direito a votar nos pleitos polítco-eleitorais.

“Apesar de sua parcialidade e críticas sobre a forma como este condado, estado, país são governados”, acrescentou Lober “mrs. Rangel merece uma homenagem por permanecer neste país, apesar de nosso PIB per capita ser quase dez vezes maior e temos aproximadamente um sexto da taxa de homicídios do país de onde ela vem”, finalizou.

Antes de passarem para outros itens da agenda de votação, os comissários Tobia e Lober se ofereceram para pagar uma moldura para a resolução em “homenagem” à brasileira.

Pelo Twitter, Rangel comentou a sessão: “Quando a Comissão do condado de Brevard aprova uma resolução “homenageando” você, ocupando o tempo do público e um comissário faz um monte de comentários xenófobos porque você os colocou em seu lugar. #winning #BeijinhoNoOmbro”, tuitou.

Nesta terça-feira (16), o jornal Florida Todaytambém posicionou-se sobre a resolução.

Na coluna de opinião do periódico, o jornalista Mariel Simon, escreveu: “Depois de ler o artigo sobre como os comissários do condado de Brevard decidiram usar seu tempo para zombar de Isadora Rangel, fiquei profundamente frustrado e consternado. E todos nós sabemos como o bullying geralmente funciona. Um líder inicia o comportamento e outros que são muito fracos para se opor, seguem o exemplo”, diz o artigo.

Ao contrário dos repórteres que escrevem notícias de forma imparcial, redatores de opinião expressam pontos de vista, apresentando posicionamento crítico sobre os fatos reportados.