Congresso chega a acordo sobre pacote de $2 trilhões para alavancar a economia

Cheques de $1,200 para indivíduos e $367 bilhões para pequenas empresas são parte do ambicioso plano de estímulo econômico para minimizar os prejuízos causados pela COVID-19

0
1382
Governo vai injetar mais de $2 trilhões na economia em combate à crise da COVID-19

Os senadores Chuck Schumer (Dem.) e Mitch McConnell (Rep.), líderes dos seus respectivos partidos no Senado, anunciaram na manhã de quarta-feira (25) um acordo fechado para aprovar no Congresso um pacote de medidas no valor de $2 trilhões como estímulo à economia em resposta aos prejuízos causados pela pandemia da COVID-19. “É um investimento de guerra para a nossa nação”, disse McConnell.

O acordo vai disponibilizar recursos para uma ampla gama de necessidades, desde cheques de $1,200 para indivíduos até centenas de bilhões para as pequenas, médias e grandes empresas impactadas pela pandemia.

Os dois senadores disseram que o pacote deve passar rapidamente pelo Senado e deve ser implementado nos próximos dias.

BILHÕES PARA TODOS TIPOS DE EMPRESAS

Centenas de bilhões de dólares serão usados para financiamentos que poderão estar disponíveis ainda nas próximas semanas. O senador Marco Rubio (R-Fl), presidente do Comitê do Senado para Pequenos Negócios e Empreendedorismo, falou sobre o plano: “Esse não é um programa onde você vai ao SBA (Small Business Administration), a um local armado numa área de desastre, a um escritório ou website do governo. Você vai ao banco, a uma instituição financeira.”

De acordo com o plano, os bancos poderão processar a ajuda financeira através do SBA, ou de um novo programa criado especificamente para administrar os recursos. O pacote inclui $367 bilhões em empréstimos para pequenas empresas e $500 bilhões para um novo sistema de financiamento.

Para usufruir da ajuda, as pequenas empresas terão de manter a folha de pagamento durante a crise. As pequenas empresas que mantiverem seus funcionários receberão ajuda financeira através de empréstimos garantidos pelo governo. Se a empresa continuar pagando seus funcionários normalmente pelo tempo que durar a crise, os empréstimos poderão até ser perdoados, prevê o plano.

OUTROS BILHÕES DE DÓLARES PARA AS FAMÍLIAS

Mais dinheiro virá ainda para aliviar as famílias prejudicadas. O plano prevê o envio de cheques individuais no valor de $1,200 e um aumento substancial no seguro-desemprego, onde trabalhadores desempregados poderão receber até $600 a mais por semana em seus cheques-desemprego para garantir que os “demitidos, em média, recebam seu salário integral por quatro meses”, disse McConnell. Os cheques de $1,200 serão enviados para quem tem rendimento anual até $75,000. Famílias receberão um adicional de $500 por filho, de acordo com o plano.

O plano inclui ainda uma injeção maciça de recursos no setor de saúde, que vai receber mais de $130 bilhões para combater o coronavirus. Estados e municípios receberão $150 bilhões adicionais.

O pacote de medidas econômicas anunciado nesta quarta-feira é o maior na história dos Estados Unidos.