Consulado no Rio de Janeiro nega visto para bailarino convidado para dançar na Flórida

Bernardo Régis, de nove anos, foi convidado para participar de um concurso de dança em Saint Petersburg (FL) e selecionado para um curso de férias no Miami City Ballet, mas não conseguiu o visto

0
5463
Bernardo na escola de balé Foto Marcos Ramos Agência O Globo
Bernardo na escola de balé Foto Marcos Ramos Agência O Globo

A manicure brasileira Carla Cristina Batista Mendes, de 38 anos, vive hoje o sonho do filho Bernardo Régis, de nove anos, de ser bailarino profissional. Bernardo foi convidado para participar de um concurso de dança em março em Saint Petersburg (FL) e de um curso de férias em julho no conceituado Miami City Ballet, em Miami. Entretanto, o visto de turista de ambos no Consulado dos Estados Unidos no Rio de Janeiro foi negado em janeiro e o sonho de dançar fora do Brasil foi interrompido, pelo menos por enquanto.

Em entrevista ao AcheiUSA, Carla disse que acredita que suas condições financeiras foram o empecilho para conseguir o visto. “Não tenho emprego fixo e minha renda é muito baixa, deve ter sido esse o motivo pelo qual eles negaram nossos vistos.  Acredito que seja porque não pude provar que voltaria para o meu país”, lamenta Carla, que é mãe de outros três filhos, de 21 anos, 13, Bernardo e uma criança de dois anos.

Segundo a manicure, o agente consular nem chegou a perguntar o que Carla e o filho iriam fazer nos Estados Unidos. “Só precisamos do visto aprovado para que ele possa ir e quando tiver outros concursos ele possa participar, pois sem o visto ele não poderá participar de nenhum. Ele estuda ballet na escola de dança Alice Arja aqui no Rio de Janeiro e sempre tem concursos internacionais e sem o visto fica impossível de ele participar”.

A história de Bernardo com a dança começou há três anos quando ele participou de uma mostra de de escolas públicas em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Alice Arja, diretora da escola de balé que leva o seu nome, se encantou com a performance de Bernardo e deu a ele uma bolsa integral.

“Quando ele foi à escola de balé pela primeira vez, não se interessou, pois só tinha meninas. Depois ele viu uma reportagem de um menino da escola que estava indo estudar nos Estados Unidos e resolveu se dedicar. De lá para cá ele está cada vez mais apaixonado pela dança”, afirma a mãe.

Bernardo, então, participou de um processo seletivo para um concurso em St. Petersburg que será em março, mas diante da negativa do visto, ele não poderá comparecer. Carla pretende voltar a tentar novamente tirar o visto dela e do filho para que ele consiga ir para Miami em julho. “É um sonho muito grande que ele tem de ser um grande bailarino. Não posso desistir, vou lutar até o fim”.

A história de Bernardo já chegou ao programa ‘Encontro’ de Fátima Bernardes e outros famosos também se mobilizaram para ajudar Bernardo a conseguir o dinheiro. Só não contavam que o consulado negaria o visto.

Vaquinha online

Para conseguir dinheiro para viajar para os EUA, Carla, além do trabalho como manicure, vende canetas decoradas. A família também abriu um site para arrecadar dinheiro, a chamada vaquinha on-line, e já conseguiu arrecadar R$ 13 mil. A meta é chegar a R$ 20 mil.

Carla não pensa em desistir. “Estamos na esperança que o Bernardo possa chegar até Miami para fazer esse curso que também é um grande sonho para ele. Nesse curso de verão o Bernardo pode conseguir bolsa para voltar no ano seguinte e assim até que ele tenha a idade para poder ficar sem precisar de acompanhante. Nosso visto foi negado, mas jamais irei desistir de conseguir realizar o sonho do meu pequeno bailarino. Tenho custos entre viagens, hospedagem, alimentação, seguro viagem, translado e mais uma vez a taxa do visto para duas pessoas não fica barato. Então continuo pedindo a ajuda de vocês para que o sonho do meu filho possa se realizar”.

Quem puder ajudar acesse o site neste link.

Carla Mendes, Bernardo, entre a apresentadora Fátima Bernardes e as professoras de balé do filho
Carla Mendes, Bernardo, entre a apresentadora Fátima Bernardes e as professoras de balé do filho