Contrastes da bola

0
417
Claudinho do Red Bull Bragantino é um dos jogadores mais valiosos do Brasileirão (Foto: transfermarket.de)
Claudinho do Red Bull Bragantino é um dos jogadores mais valiosos do Brasileirão (Foto: transfermarket.de)

A diferença entre Europa e América do Sul fica muito pronunciada com a disputa dos dois principais torneios continentais. Enquanto a Eurocopa arrebata os torcedores com a exibição das melhores seleções do mundo (à exceção da brasileira e da argentina), a Copa América realça a pobreza do subcontinente sul-americano: campos em más condições, jogos encavalados com os do Campeonato Brasileiro, cobertura pífia e pouco interesse dos torcedores.

As duas competições estão nas quartas de final, mas a diferença entre os protagonistas é gritante. Para começar, a Copa América passou direto da fase de grupos para as quartas de final, pois foram formados dois grupos, em que apenas uma seleção de cada grupo foi eliminada. Sem surpresa, Venezuela e Bolívia já voltaram para seus países, com a seleção boliviana não conquistando um ponto sequer.

Copa América não empolga

As duas seleções mais destacadas são as do Brasil e Argentina – ambas conquistaram 10 pontos (três vitórias e um empate). Nesta sexta-feira (2) e sábado (3) serão disputadas as quatro partidas das quartas de final da competição, com o Brasil enfrentando o Chile na sexta-feira no Estádio Nilton Santos, mais conhecido como Engenhão, no Rio de Janeiro. No mesmo dia, Peru e Paraguai se enfrentam no Estádio Olímpico, em Goiânia. No dia seguinte, a Argentina pega o Equador, também no Olímpico, e Uruguai e Colômbia jogam no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Os organizadores (e os torcedores, de modo geral) torcem muito para uma final entre Brasil e Argentina, com Neymar de um lado e Messi do outro. Todos querem ver os duelos dos craques no palco do Maracanã no sábado, 10 de julho. Isto, com certeza, pode salvar a Copa América do marasmo.

Brasileirão imprevisível

O Campeonato Brasileiro sempre foi considerado mundialmente como o mais difícil. Afinal, em nenhum outro país há 12 equipes favoritas a conquistar o título de campeão.

Bem, era assim, mas chegou a hora de rever os conceitos. Pouco a pouco a lista de favoritos vem apresentando mudanças. Equipes antes consideradas meras participantes estão assumindo o protagonismo dos antigos favoritos – donos de grandes torcidas, mas com desempenhos pífios.

Vamos rememorar. Outrora, os chamados 12 grandes eram os 4 de São Paulo (Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos), os 4 do Rio de Janeiro (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasxo da Gama), os 2 do Rio Grande do Sul (Grêmio e Internacional) e os 2 de Minas Gerais (Atlético-MG e Cruzeiro). Pois bem fast forward para a situação atual. Três deles estão na Série B: Botafogo, Vasco e Cruzeiro. Os três, por enquanto, cumprem campanhas discretas, longe do G4 que dá acesso à Série A.

Dos que estão na Série A, somente o Palmeiras vem cumprindo campanha de favorito. É o atual 3º colocado, a um ponto do líder Red Bull Bragantino, que jogou na quinta-feira (1) e pode ter ampliado esta vantagem.

Os demais fazem campanhas sem brilho e até mesmo decepcionantes. O Santos, apesar do empate sem gols em casa com o Sport, está no G6, com 12 pontos. Atlético-MG, Corinthians e Fluminense está na zona intermediária, com 10 pontos, embora o Galo pode ter se destacado do grupo, caso tenha vencido sua partida contra o Atlético-GO na quinta-feira, em Belo Horizonte.

Flamengo e Internacional estão com 9 pontos, mas em situações diferentes. Enquanto o Rubro-Negro carioca só jogou cinco jogos e pode se recuperar na tabela, o Colorado disputou oito partidas e precisa reagir logo, caso ainda queira sonhar com o título.

As situações de São Paulo e Grêmio, porém, são desoladoras. O Tricolor Paulista marcou apenas 5 pontos em 24 disputados e abre a zona de rebaixamento. A conquista do Paulistão parece ter anestesiado o time que ainda não venceu no Brasileirão. Já o Grêmio segura a lanterna do campeonato, com apenas 2 pontos obtidos em 6 jogos. A má situação do Tricolor gaúcho coloca em risco o emprego de Tiago Nunes, técnico jovem que fez um bom trabalho no Athletico-PR, com quem conquistou a Copa do Brasil de 2019, mas decepcionou como técnico do Corinthians e vem fazendo um trabalho questionável com o Grêmio.

Os novos protagonistas

Yago Pikachu deixou o Vasco da Gama para se transformar no craque do Fortaleza (Foto: blogspot.com)
Yago Pikachu deixou o Vasco da Gama para se transformar no craque do Fortaleza (Foto: blogspot.com)

Bem, se os tradicionais clubes estão em baixa, é momento de exaltar aqueles que vem se destacando: Red Bul Bragantino, Athletico-PR, Fortaleza, Atlético-GO e Juventude.

Indubitavelmente, o Red Bull Bragantino é a grande sensação deste início de Brasileirão 2021. A equipe do interior paulista lidera a competição e apresenta um futebol eficiente e definidor. Quando venceu o Corinthians na Neo Química Arena, muita gente argumentou que o Timão não servia como parâmetro, porque o time da Fiel Torcida não encanta e possui um dos elencos mais fracos do torneio, apesar de a folha salarial ser cara.

Chegou, então, a vez do Flamengo – apontado por muitos como o principal favorito da competição. Para surpresa dos especialistas, o Massa Bruta foi ao Rio de Janeiro e bateu o Mengão por 3 a 2. A próxima partida também apontava um adversário difícil: Palmeiras, time para o qual perdeu cinco jogos seguidos. A determinação de seus jogadores, no entanto, derrubou o tabu ao vencer por 3 a 1 outro time exaltado como provável campeão.

As vantagens apontadas pelos analistas e torcedores de outras equipes para o sucesso do Red Bull Bragantino são ausência de cobrança (por ter pouca torcida, é fácil estabelecer metas sem ter a pressão dos torcedores), pontualidade de pagamentos (a matriz cuida de enviar as verbas para manutenção da estrutura futebolística), investimento em jovens jogadores que, no futuro, podem se tornar bons ativos para a organização. Não é à toa que tirou Artur, do Palmeiras; Helinho, do São Paulo; Natan, do Flamengo, e recentemente Praxedes, do Internacional. Até Marcelo Barbieri, o atual técnico, é jovem. Este ano o clube pode estar entre aqueles que disputarão a Copa Libertadores da América, se mantiver o nível atual.

O Furacão foi outra equipe que entrou no clube dos grandes e vem-se mantendo. Já venceu Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e passou a dominar o futebol paranaense, para desespero do Coritiba, antes o principal time do Paraná. Antonio Oliveira, também um técnico iniciante, é o responsável pelo bom futebol praticado pelo Athletico-PR.

O Fortaleza também está entre as gratas surpresas. Depois de ter ganho músculo com a passagem de Rogério Ceni, o Tricolor do Peci apostou em outro técnico jovem: o argentino Vojvoda. E vem colhendo ótimos resultados, com destaque para Yago Pikachu, dispensado pelo Vasco, que é um dos vice-artilheiros do Brasileirão, além de fazer várias assistências.

Está mais do que na hora de os dirigentes dos chamados grandes clubes fazer uma autocrítica e corrigir os erros, sob risco de muitos deles se transformar na saudosa Portuguesa de Desportos, que hoje disputa a Série D!

Eurocopa com surpresas

A quantidade de seleções bem montadas no continente europeu vem provocando alguns resultados inesperados. Nas oitavas de final, quatro candidatos ao título já estão fora da disputa:

• Portugal, atual campeão europeia perdeu por 1 a 0 para a Bélgica, com Cristiano Ronaldo e tudo.

• França, atual campeã mundial, foi eliminada pela Suíça nos pênaltis, após empate em 3 a 3 no tempo normal e 0 a 0 na prorrogação. Os suíços converteram suas cinco cobranças, enquanto os franceses falharam um pênalti, exatamente com o craque do time, Mbappé.

• Holanda, apontada como uma das sensações na primeira fase do torneio, foi derrotada por 2 a 0 para a República Checa. O resultado provocou a demissão do treinador Frank de Boer.

• Alemanha, campeã mundial no Brasil, também ficou pelo caminho após ser batida por 2 a 0 pela Inglaterra. O jogo marcou a despedida do técnico Joachim Low.

As partidas das quartas de final da Eurocopa também serão jogadas na sexta-feira (2) e no sábado (3).  Os confrontos programados serão os seguintes:

BélgicaxItáliaMunique (Alemanha)
SuíçaxEspanhaSão Petersburgo (Rússia)
UcrâniaxInglaterraRoma (Itália)
DinamarcaxRepública ChecaBaku (Azerbaijão)

A final está marcada para o domingo (11) no Estádio de Wembley em Londres.