Copa do Brasil tem jogos eletrizantes

0
1586

As quartas de final da Copa do Brasil mostraram que lá estão os melhores times do  Brasil atualmente, com exceção do Corinthians que está disputando a Copa Sul-Americana. A primeira fase das quartas de final do torneio terminou na quinta-feira com o choque entre os Alvinegros de Minas Gerais (Atlético-MG) e do Rio de Janeiro (Botafogo). Em consequência, os torcedores puderam ver jogos emocionantes, relembrando os tempos em que tínhamos o melhor futebol do mundo.

Show do Grêmio

O Grêmio talvez seja a equipe que atualmente vem praticando o futebol mais vistoso do Brasil. Com uma defesa bem posicionada, laterais que apoiam bem, meio campo móvel e atacantes habilidosos, acompanhados por um goleiro de bom nível técnico, esta equipe dirigida por Renato Portaluppi vem encantando. Apesar de ter sido derrotada no jogo do Brasileirão pelo Corinthians em Porto Alegre, no choque dos líderes, o Imortal atuou bem e somente perdeu o jogo por causa da atuação impecável de Cássio, goleiro corintiano. Entretanto, na quarta-feira (28), a equipe voltou a brilhar. Venceu o bom time do Atlético-PR com uma goleada de 4 a 0 – dois gols de Lucas Barrios, Hannemann e Everton – e show de bola. O ataque envolvente dos gremistas não deu chances para os paranaenses e aos 30 minutos já estava 3 a 0 para os gaúchos. O Furacão bem que tentou reagir, mas a noite era mesmo do Tricolor de Porto Alegre. Agora, os times se reencontrarão no dia 27 de julho, porém, a vaga já está praticamente definida a favor do time do Rio Grande do Sul.

Palmeiras e Cruzeiro fazem jogo excepcional

Palmeiras e Cruzeiro disputaram dois jogos diferentes na noite de quarta (28), no Allianz Parque. Os mineiros souberam executar a estratégia perfeita de Mano Menezes e venceram a primeira metade por 3 a 0, gols de Thiago Neves, Robinho e Alisson, enquanto os paulistas se aproveitaram da ótima leitura de Cuca e venceram a segunda metade também por 3 a 0, gols de Dudu (duas vezes) e Willian. O resultado final foi um eletrizante 3 a 3 no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. A volta será dia 26, no Mineirão. A noite começou azul. Treinado para atrair o adversário, recuperar a posse e contra-atacar, o Cruzeiro fez tudo isso com eficiência assustadora nos 45 minutos iniciais. Quando o Palmeiras perdia a bola, só conseguia achá-la dentro da rede. Cuca não esperou para mexer, e Fabiano ouviu muitas vaias ao ser substituído por Egídio aos 32 minutos da etapa inicial. Com essa mudança, o técnico do Palmeiras estancou a sangria das duas laterais: Zé Roberto deixou a esquerda com Egídio e foi jogar no meio, de onde Tchê Tchê saiu para ir compor o lado direito. A melhora não foi imediata, mas o time ao menos parou de sofrer. No intervalo, todos queriam saber onde estava o Palmeiras. A resposta veio mais depressa que o esperado. Se o Cruzeiro demorou 30 minutos para fazer três gols no primeiro tempo, o Palmeiras levou só 20 para igualar o placar no segundo. Borja entrou muito bem no lugar de Guerra, que sentiu dores, e participou dos dois primeiros gols, ambos marcados por Dudu, um gigante de 1,67m que gosta de aparecer em momentos como esse. O terceiro foi de Willian, um guerreiro que joga em qualquer posição para ajudar – na quarta-feira virou meio-campista. O ritmo diminuiu depois do empate, com uma ou outra estocada perigosa de ambos os lados. No fim, o resultado acabou sendo justo. Agora, as duas equipes voltam a se enfrentar no Mineirão no dia 26 de julho pela Copa do Brasil. O Cruzeiro tem vantagem porque empates de 0 a 0, 1 a 1 ou 2 a 2 garantem a Raposa na próxima fase, além da vitória, é claro. Ao Verdão, resta opção de vencer em Belo Horizonte.

Flamengo derrota Santos na Ilha do Urubu

Diante de sua torcida, o Flamengo fez o dever de casa e se impôs diante do Santos, por 2 a 0, na quarta-feira (28), no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, na Ilha do Urubu. O Rubro-Negro mostrou muito mais vontade de vencer do que o adversário e foi premiado com a vantagem no confronto, com gols de Éverton e Cuéllar. O Peixe não fez uma boa partida e volta para o litoral paulista sabendo que precisa melhorar muito para avançar no torneio nacional. O primeiro tempo começou com o Santos tentando manter a posse de bola no campo de ataque, enquanto o Flamengo apostava em jogadas de velocidade com seus pontas. Berrío era a principal válvula de escape do time da casa na primeira etapa, mas parou no atento Vanderlei em duas finalizações perigosas. Em uma delas, o goleiro do Peixe foi fantástico e mostrou todo o seu reflexo. Copete e Bruno Henrique tentavam abrir espaço do outro lado, mas a zaga rubro-negra não vacilava. Ao avançar a marcação, o Flamengo passou a tomar conta do jogo e conseguiu a vantagem aos 26 minutos. Réver saiu jogando já na altura do meio campo e deu bom passe para Guerrero, que tocou rápido, de calcanhar, para Éverton ficar em ótima condição e chutar para a rede: 1 a 0. Vanderlei se esticou, mas não conseguiu evitar o gol. A única boa chance do Santos no primeiro tempo surgiu numa falha da defesa do Flamengo. O goleiro Thiago saiu mal num cruzamento, e Kayke quase empatou. Do outro lado, Guerrero ainda arriscou um bom chute que bateu no rosto do goleiro Vanderlei. O 1 a 0 se manteve no placar até o apito que determinou o intervalo da partida. Mesmo em vantagem, o Flamengo iniciou o segundo tempo pressionando o Santos. Berrío deu uma bela bicicleta na tentativa de ampliar o placar, mas parou novamente em Vanderlei. Dominado, o Peixe tinha dificuldades para sair jogando. Aos 19 minutos, os visitantes balançaram a rede de Thiago, mas o lance foi anulado por impedimento. Após bate e rebate na área, a bola sobrou para Copete completar para o gol, mas ele estava em posição irregular. Éverton teve boa chance para fazer o segundo dele cara a cara com Vanderlei, mas chutou em cima do goleiro santista. Os visitantes ameaçaram pouco e só deixaram a torcida da casa apreensiva em lances de bola parada. Quando o jogo caminhava para o fim, Cuéllar fez um lindo gol aos 42 minutos, ampliando para 2 a 0. O volante colombiano acertou um belo chute de fora da área, sem defesa para Vanderlei. A torcida foi ao delírio com a vitória. Vantagem do Fla. O jogo de volta será no dia 26 de julho, na Vila Belmiro, em Santos (SP).

Corinthians mantém invencibilidade na Colômbia

Por estratégia ou por acaso, o Patriotas explorou as principais deficiências do Corinthians e quase conseguiu uma vitória no jogo de abertura da segunda fase da Copa Sul-Americana, na quarta-feira (28). Quase… Com gol de Balbuena aos 47 minutos do segundo tempo, o Timão arrancou empate por 1 a 1 e ampliou sua sequência de invencibilidade para 24 partidas, a sexta maior série em 106 anos de história do clube. Com cinco mudanças em relação ao time que venceu o Grêmio no fim de semana e quatro em relação à formação considera ideal atualmente, o Corinthians até criou a primeira boa chance da partida, quando Rodriguinho tocou para Kazim, que serviu Romero livre pela direita. O paraguaio fintou e bateu para boa defesa de Villete. Poucos minutos depois, no entanto, o Patriotas foi quem saiu na frente do placar. Em todo o primeiro tempo, o time colombiano apostou na amplitude, com pontas bem abertos explorando as costas de Fagner e Moisés, que substituía Guilherme Arana. Enquanto o Timão sofria para criar por uma série de razões (gramado irregular, time cansado, falta de atitude e até a altitude), o Patriotas levou a melhor com Mosquera pela direita do ataque e o cruzamento sobrou para Gomez, que bateu para desvio de Fagner antes de a bola enganar Balbuena e Fagner. Bola aérea e rebote: é ali que o Corinthians sofre. Parecia que não era noite de Corinthians, mas Balbuena foi para a área resolver. Ele iniciou a jogada pouco à frente da intermediária, tocou para Fagner e recebeu o cruzamento certinho. Um cabeceio perfeito, sem chances para Villete, e o Timão arrancou o empate. A decisão da vaga nas oitavas de final da Sul-Americana será na Arena Corinthians, em 26 de julho. Pelo visto, a invencibilidade vai durar até lá!

Chapecoense é derrotada no último minuto

Com quatro baixas, a estreia da Chapecoense rumo ao bicampeonato da Sul-Americana deixou a desejar. No Estádio Norberto Tomaghello, em Buenos Aires, o Verdão do Oeste, que jogou quase 45 minutos com um a menos, perdeu de 1a 0 para o Defensa y Justicia, com um gol de Stefanelli no último lance. Por ter sido eliminada precocemente na Libertadores, o Verdão do Oeste já estreou em uma fase avançada e encarou um adversário que disputa o torneio pela primeira vez e vem embalado no Campeonato Argentino e por ter eliminado o São Paulo anteriormente. A partida marcou a despedida do treinador Sebastian Beccacece do comando do time argentino. Ele será auxiliar de Jorge Sampaoli na Seleção Argentina. A Chapecoense começou  ansiosa pelo gol, mas que não ameaçava o adversário. Isso até os 10, quando o DyJ  começou a anular os catarinenses e prender a bola no meio-campo. A alternativa, em ambos os lados, era apostar em bolas paradas. Após um escanteio para os argentinos, Apodi puxou um contra-ataque e só foi parado com falta, quase convertido por Reinaldo. Miranda recebeu amarelo, mas mereceu vermelho. O Defensa respondeu com um gol perdido de Rios, mas a primeira etapa foi realmente fraca. O segundo tempo iniciou da mesma forma, mas a expulsão de Andrei Girotto deu outra configuração. O volante da Chape recebeu segundo amarelo e fez os argentinos avançarem.  Isso ainda coincidiu com as alterações do Defensa, que colocou o time pra frente.  Assim, não era de se esperar outro cenário a não ser um Defensa avançado.  Bouzat tentou, Delgado e Rivero também, porém foi Stefanelli, que saiu do banco quem marcou, aos 49. Ele aproveitou falha de Apodi, que não acompanhou o ‘chuveirinho’, e marcou de cabeça. O jogo foi válido pela segunda fase da competição e a volta será em 25 de julho, na Arena Condá.

Sport vence seu 41º título de campeão pernambucano

Dois meses depois de empatarem no primeiro jogo, Sport e Salgueiro se reencontraram para finalmente decidir o campeão pernambucano. E deu Leão, mas com polêmica. O clube do interior pernambucano chegou ao gol no segundo tempo, porém o árbitro de vídeo invalidou o lance, alegando saída de bola. Dez minutos depois, Everton Felipe garantiu a vitória do rubro-negro, que conseguiu seu 41° título estadual. No primeiro tempo, Salgueiro e Sport pareciam nervosos e erravam mais do que acertavam e foram para o intervalo empatado em 0 a 0 e com poucas emoções. Já que estava difícil chegar perto do gol, as duas equipes voltaram para a etapa final apostando nos chutes e cruzamentos de longa distância. Aos 25 minutos, a equipe do Salgueiro cobrou escanteio e chegou ao gol, com Álvaro. O árbitro Wilton Pereira Sampaio, porém, invalidou o gol, auxiliado pelo árbitro de vídeo, marcando saída de bola na cobrança. Pelas imagens televisivas, não ficou claro se a bola saiu ou não. Dez minutos depois, a receita utilizada pelo Leão na segunda etapa deu resultado. Everton Felipe recebeu de Diego Souza e acertou belo chute de longe, abrindo o placar no Cornélio de Barros. Depois, a equipe de Luxemburgo se fechou e não deu mais chances ao adversário. Aos 50 minutos, o árbitro ergueu os braços e deu fim ao Campeonato Pernambucano, com o Sport conseguindo seu 41° título. Agora, Diego Souza vai decidir se permanence no Sport ou se transfere para o Palmeiras.

Chile elimina Portugal na disputa de pênaltis

O jogo entre Portugal e Chile terminou em 0 a 0, no tempo mnromal e na prorrogação. Então, restou apenas a decisão da vaga para a final na disputa das penalidades máximas. Aí, brilhou a estrela de Claudio Bravo, goleiro chileno que atua no Manchester City. Maior destaque da equipe do Chile com três defesas decisivas nas penalidades diante do Portugal, o goleiro Claudio Bravo se demonstrou eufórico e ciente de que a equipe precisava comemorar e muito a qualificação a final da Copa das Confederações: “O nosso time tem todo o direito de comemorar uma vitória maiúscula como essa. Nunca nos damos por vencidos e temos consciência da nossa qualidade. A seriedade é uma marca do Chile e por isso estamos em mais uma decisão.” A respeito da empolgação do torcedor chileno em conseguir o terceiro título para a seleção em três anos, Bravo reconhece a importância do feito, mas pede cautela para encarar mais uma decisão: “Fico feliz que o povo chileno tenha se alegrado com essa vitória. É um passo importante para a nossa seleção, mas que mantenham a calma, já que tem a decisão e toda final é difícil.”