Depois de 50 anos de espera, Cruzeiro dos EUA para Cuba chega a Havana

Navio partiu de Miami no domingo (1) com cerca de 700 passageiros que foram recebidos com festa pelos moradores da ilha

0
1911
Cubanos receberam navio com festa
Cubanos receberam navio com festa

Da Redação com Reuters – O primeiro cruzeiro a fazer a rota entre Estados Unidos e Cuba em meio século chegou a Havana nesta segunda-feira (2). O navio saiu de Miami no dia 1º com 700 passageiros e passará por vários portos de Cuba nesta semana.  A partir de agora, cruzeiros de uma semana navegarão duas vezes por mês com o objetivo de promover o intercâmbio cultural entre os dois países.

Os passageiros foram recebidos com festa pelos cubanos ao chegarem à ilha. “Estou muito animado em participar desse primeiro cruzeiro e ver que pessoas de todas as partes do mundo estão vivenciando isso. Os cubanos acenando para nós, me fez me sentir acolhido e feliz. Eu sabia que seria uma viagem especial”, disse Muriel Cohen, de 73 anos, de Boca Raton.

Desde dezembro de 2014, após um acordo entre o governo americano e o cubano, os americanos passaram a viajar para a ilha por via aérea, mas não marítima. Alguns cubanos que esperavam pelo navio no Plaza de San Francisco disseram que queriam testemunhar um momento histórico. Outros apenas aproveitaram o feriado local e aproveitaram para se divertir.

Para eles, a chegada de estrangeiros à ilha irá melhorar a economia do local. Os passageiros do navio puderam escolher diversas opções turísticas na ilha.

Incerteza

A incerteza se o primeiro cruzeiro aconteceria foi desfeita na semana passada, quando o governo de Raúl Castro levantou as restrições para as viagens marítimas dos cubanos saindo de Cuba ou vindo dos Estados Unidos, o que abriu as portas para as pessoas nascidas na ilha viajarem a bordo das embarcações.

Em um primeiro momento, levando em conta as restrições impostas desde a Guerra Fria por Cuba quando temia o desembarque de anticastristas, a Carnival havia se negado a aceitar cubanos-americanos a bordo, o que desatou uma polêmica pelo que foi visto como um ato de discriminação.

As críticas de diversos setores levaram a Carnival, a primeira empresa mundial de cruzeiros, a mudar de atitude e aceitar pessoas nascidas em Cuba. Em seguida, o país anunciou que aceitava liberar as viagens marítimas de seus cidadãos, dentro do processo de normalização das relações com os Estados Unidos, que alcançou seu ponto máximo em março, com a visita histórica de Barack Obama a Havana.

Segundo a Carnival, os cubanos que migraram para os Estados Unidos antes de 1971 precisam de um visto especial, mas os que saíram depois dessa data podem viajar com seu passaporte cubano, as mesmas exigências feitas a quem usa aviões.

Os preços para o cruzeiro a Cuba partem dos $1.800 por pessoa em um camarote básico até mais de 7 mil em uma suíte. Foto: Adalberto Roque / AFP.