Cubanos reagem ao fim da política do “pé seco, pé molhado” anunciada por Obama

Alguns se mostraram a favor, já que incentivava a travessia perigosa; outros se sentiram traídos pelo Democrata

0
6565
Guarda Costeira intercepta barco com cubanos na Flórida
Guarda Costeira intercepta barco com cubanos na Flórida

DA REDAÇÃO, COM CNN – Os cubanos receberam com surpresa a decisão do presidente Barack Obama de acabar com os benefícios imigratórios dos nativos da ilha de Fidel Castro, anunciada na quinta-feira (12). A cubana Laura Vianelo, por exemplo, aplaudiu a decisão do presidente. “Está na hora da nova geração de cubanos se liberaram do comunismo dentro do próprio país e não correrem mais riscos nesta travessia”, disse Laura.

Ela e outros cubano-americanos se reuniram na noite de quinta-feira (12) no popular bairro de Llittle Havana em Miami para debater sobre a decisão. Alguns, estavam desolados, segundo reportagem da CNN. Outros disseram que a mudança pode trazer benefícios para Cuba.

O médico Orlando Silva veio com sua família e nunca mais voltou à ilha. Ele disse que a medida de Obama é mais uma traição contra o seu país. “Os EUA mostraram mais uma vez que sempre foram contra Cuba”, disse Orlando.

Segundo a Casa Branca, a medida tem efeito imediato, mas os efeitos só serão sentidos quando Trump assumir a presidência, afirmam os especialistas.

Jason Marczak, diretor da Iniciativa para o Crescimento Econômico da América Latina disse em um comunicado que Trump “não reverterá o anúncio de hoje”, uma medida que seria contrária às promessas de sua campanha de impor fluxos migratórios ordenados”.

O que disse Obama

“Dando esse passo, nós estamos tratando os cubanos como imigrantes da mesma forma que nós tratamos os imigrantes vindos de outros países”, disse Obama em comunicado. “Os Estados Unidos, uma terra de imigrantes, se enriqueceram com a contribuição dos cubano-americanos por mais de um século. Desde que assumi o mandato, nós temos colocados a comunidade cubana no centro das nossas políticas. Com essa mudança, vamos continuar a receber os cubanos assim como recebemos imigrantes de outras nações: de acordo com nossas leis”, completou Obama.

A política, em vigor há mais de duas décadas, era aplicada apenas para curbanos. Outros imigrantes que tentam entrar nos EUA sem visto são presos e deportados.

O governo disse que Cuba concordou em parte com a mudança. Havana tem questionado o perigo que passam os cubanos ao atravessarem o mar em embarcações precárias em busca do sonho americano.

A partir de agora, a Imigração irá avaliar os pedidos de vistos para cubanos assim como avalia outros pedidos. A decisão não afeta os cubanos que já estão dentro dos EUA, apenas o que ainda estão por vir.

“Durante minha administração, nós trabalhamos para melhorar a vida das pessoas que vivem em Cuba”, disse Obama. “Esse é o melhor caminho para que os cubanos possam ter prosperidade e possam buscar formas de determinar o próprio destino”.