De cada dez famílias, sete não aparecem para audiências de asilo em tribunais de Imigração

Segundo Centro para Estudos de Imigração, análise feita em 10 Cortes imigratórias mostra que 36.115 famílias não apareceram na frente do juiz e receberam ordem de deportação

0
1527
Todos os presos liberados sofrem de “condições médicas crônicas” e enfrentam “risco iminente de morte
Todos os presos liberados sofrem de “condições médicas crônicas” e enfrentam “risco iminente de morte

Levantamento do Center for Immigration Studies (CIS), divulgado no último dia 7, mostra que de cada dez famílias presas na fronteira dos Estados Unidos com o México, sete não aparecem no dia marcado para a audiência com um juiz de Imigração.

Segundo o CIS, entre 24 de setembro de 2019 e 24 de janeiro de 2020, 36.115 famílias não compareceram aos tribunais e têm ordem de deportação emitida (isso acontece quando o imigrante não aparece na data marcada para a audiência). “Esses imigrantes na entrada alegam que estão em busca de asilo, mas não aparecem, o que reforça o discurso do governo de que eles vêm com interesse em ficar de forma ilegal”, comenta Andrew Arthur, autor da reportagem.

O levantamento foi feito nos tribunais das cidades de Atlanta, Baltimore, Chicago, Denver, Houston, Los Angeles, Miami, New Orleans, New York City, e San Francisco.

A juíza de Imigração Ashley Tabaddor, presidente do National Association of Immigration Judges, comentou que os juízes estão tendo dificuldade de cumprir o seu papel.

“Não há nada errado com as pessoas que procuram uma vida melhor em geral, é claro, mas o problema nesses casos é que:  elas colocam a si e a seus filhos em perigo entrando ilegalmente para começar;  deram dinheiro a criminosos e cartéis para serem contrabandeados para os Estados Unidos; estão inchando tribunais de imigração com datas de audiência em que nunca compareceram e provavelmente nunca planejaram comparecer; e  dificultam a proteção oportuna dos solicitantes de asilo legítimos, o que permitiria que esses estrangeiros iniciassem uma nova vida livre do medo e protegessem seus familiares ainda no exterior. Ah, e a entrada ilegal é um crime”, informa artigo.