Delta comemora aumento de 450% em vendas de passagens após anúncio da reabertura das fronteiras

Atualmente, a Delta opera voos diários e diretos entre o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e Atlanta, onde os viajantes podem fazer conexão para destinos em todo o mundo

0
548
Delta Airlines (Foto Divulgação)

A Delta Airlines informa que, desde que foi anunciada a reabertura das fronteiras dos EUA a turistas há seis semanas, a empresa viu um aumento de 450% nas vendas de passagens. A expectativa é que os voos estejam 100% ocupados a partir desta segunda-feira (8) e nas semanas seguintes.

Segundo a empresa, os destinos mais procurados são New York, Atlanta, Los Angeles, Boston e Orlando. No total, a companhia operará 139 voos em 38 países, que aterrissam nos Estados Unidos.

“A reabertura é o início de uma nova era para as viagens e para muitas pessoas ao redor do mundo, que não conseguem ver seus entes queridos há quase dois anos”, disse o CEO da Delta, Ed Bastian. “Agradecemos ao governo dos Estados Unidos por suspender as restrições de viagens e estamos ansiosos para reunir famílias, amigos e colegas nos próximos dias e semanas”.

O voo DL106, de São Paulo para Atlanta, foi o primeiro voo internacional da Delta a pousar nos Estados Unidos sob as novas regras na segunda-feira (8).

Atualmente, no Brasil, a Delta opera voos diários e diretos entre o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e Atlanta, onde os viajantes podem fazer conexão para destinos em todo o mundo. Com a reabertura das fronteiras dos Estados Unidos para viajantes internacionais vacinados, a retomada dos voos da Delta entre os aeroportos de São Paulo e New York-JFK foi antecipada e começam dia 19 de dezembro, inicialmente com três frequências semanais. A companhia espera retomar o serviço entre o Rio de Janeiro e Atlanta em 18 de fevereiro de 2022.

De acordo com a US Travel Association, as viagens internacionais para os Estados Unidos contribuíram com $234 bilhões em receitas de exportação para a economia local, geraram um superávit comercial de $51 bilhões e mantiveram diretamente 1,2 milhão de empregos no país em 2019.