Democratas prometem reforma da imigração caso Biden seja eleito

Para isso, partido também precisaria retomar maioria no Senado

0
1641
Biden quer apresentar projeto no primeiro dia de seu eventual governo (Foto: Gage Skidmore/Flickr)
Biden quer apresentar projeto no primeiro dia de seu eventual governo (Foto: Gage Skidmore/Flickr)

DA REDAÇÃO – As eleições nos EUA só acontecem em novembro, mas o tema imigração não sai da mente dos principais candidatos ao cargo de presidente – e não poderia ser diferente. Trump acenou que pretende assinar uma ordem executiva para garantir a permanência dos ‘Dreamers’ no país, ideia que foi logo rechaçada por um grupo de políticos republicanos. Já os democratas do Congresso prometeram apresentar uma ampla reforma da imigração, caso o ex-vice-presidente Joe Biden seja eleito e o partido reconquiste a maioria no Senado.

A três meses dos americanos irem às urnas, Biden (que certamente será o candidato indicado na convenção democrata) está à frente de Trump nas pesquisas. Além disso, o atual ocupante da Casa Branca amarga um baixo índice de popularidade, em meio à pandemia, que matou mais de 130 mil pessoas na América, e à crise econômica, que dizimou mais de 30 milhões de empregos nos últimos quatro meses.

“A questão imigratória deve estar sempre no topo das prioridades dos democratas, em qualquer eleição. Trata-se de questão humanitária”, afirmou o senador Bob Menéndez (D-New Jersey). Da mesma forma, o também senador Dick Durbin (D-Illinois) garantiu que Biden e Chuck Schumer (D-New York), o líder da minoria na chamada câmara alta, se comprometeram a fazer da reforma um dos primeiros atos de um eventual novo governo democrata.

Tanto é verdade que Biden disse em um discurso transmitido pelas mídias sociais no mês passado que, “no primeiro dia” de sua gestão, enviaria um projeto para proteger os cerca de 11 milhões de indocumentados nos EUA. “O objetivo é apresentar um plano ao Congresso com um caminho claro para a cidadania não apenas dos “Dreamers”, mas de todos aqueles imigrantes em situação irregular que fortalecem a nossa nação”, prometeu Biden. O ex-vice-presidente reiterou que a reforma imigratória está “muito atrasada”.

No entanto, um relatório do The Hill, um influente site de notícias em Washington DC, apresentou um relatório demonstrando que, num passado recente, os democratas tiveram a chance de aprovar a reforma – em 2009 e 2010, logo após a posse de Barack Obama, quando tinham a maioria no Congresso. Naquela época, com a forte crise econômica provocada pela bolha imobiliária e a pressão dos republicanos, a tão sonhada mudança no sistema imigratório acabou sendo deixada em segundo plano.