DeSantis anuncia ações contra crise na fronteira

Formação de força de ataque, petição à Suprema Corte da Flórida e projeto de lei vão combater tráfico de pessoas e armas ilegais

0
711
DeSantis: preocupação com crise imigratória (Foto: Wikimedia Commons)
DeSantis: preocupação com crise imigratória (Foto: Wikimedia Commons)

O governador da Flórida, Ron DeSantis, anunciou na terça-feira (21) três ações para lidar com a crise imigratória que afeta os Estados Unidos. Primeiro, formou uma força de ataque com autoridades estaduais e locais para interditar o tráfico de pessoas e apreender armas ilegais no estado. Segundo, apresentou petição à Suprema Corte da Flórida para que um grande júri examine as redes internacionais de contrabando de seres humanos que trazem estrangeiros para a América, especialmente pela fronteira sul (com o México) e pelo litoral da costa leste. Terceiro, assinou o Projeto de Lei do Senado 1808, uma legislação abrangente para proteger os residentes da Flórida da crise na fronteira.

“Estrangeiros ilegais estão sendo contrabandeados através das fronteiras em números recordes. Agora, a Flórida tomou medidas adicionais para proteger nosso estado dos efeitos de uma crise imigratória do Biden”, disse o republicano DeSantis, em Pensacola (FL) em referência ao presidente dos EUA, o democrata Joe Biden.

A força de ataque, composta por autoridades do Florida Department of Law Enforcement (agência estadual que funciona como uma secretaria), Florida Highway Patrol (polícia rodoviária do estado) e departamentos de polícia da Flórida, trabalha em conjunto para realizar operações em todo o Estado, com o objetivo de interditar o contrabando e o tráfico de pessoas e de drogas, além de apreender armas ilegais. Em apenas três dias, no noroeste da Flórida, a polícia prendeu cinco estrangeiros ilegais de Honduras e dois de El Salvador, acusados de contrabando de seres humanos. O grupo também recuperou quase quatro gramas de fentanil (opioide utilizado para dor), suficiente para matar cerca de duas mil pessoas.

DeSantis entrou com uma petição na Suprema Corte para que um grande júri estadual identifique e investigue pessoas e redes internacionais de contrabando de seres humanos que transportam estrangeiros ilegais, principalmente crianças, através da fronteira sudoeste, para estados como a Flórida. O júri examinará o impacto das redes no Estado e como elas violam as leis estaduais. Já o grande júri investigará governos locais que possam estar auxiliando o esquema de contrabando, violando a lei estadual, que exige que eles cooperem com o governo federal em questões de imigração.

O Projeto de Lei do Senado (SB) 1808 proíbe uma entidade governamental de executar, alterar ou renovar contrato com uma transportadora se ela estiver intencionalmente carregando um estrangeiro não autorizado para o Estado da Flórida. O SB 1808 também exige que qualquer agência de aplicação da lei que opere um centro de detenção do condado celebre um acordo por escrito com o Immigration and Customs Enforcement (o Departamento de Imigração e Alfândega dos EUA), para participar do programa 287(g), que permite que policiais estaduais e locais colaborem com o ICE.