DeSantis elogia ação policial contra imigrantes ilegais

A maioria das prisões foi de residentes legais

0
1620
Ron DeSantis adotou uma política mais rigorosa em termos de imigração, opondo-se à abordagem adotada pelo governo federal dos EUA (Foto: aclu.org)
Ron DeSantis adotou uma política mais rigorosa em termos de imigração, opondo-se à abordagem adotada pelo governo federal dos EUA (Foto: aclu.org)

DA REDAÇÃO – Dentro de uma sala lotada no Gabinete do xerife do condado de Escambia em junho, o governador Ron DeSantis falou sobre as muitas maneiras pelas quais seu governo está tentando “manter os ilegais fora do estado da Flórida” em resposta às políticas de imigração do presidente Joe Biden. Ele destacou uma operação de aplicação da lei liderada pelo estado, que ocorreu de 7 a 9 de junho em quatro condados do noroeste da Flórida. Ao falar sobre os resultados, a mensagem do governador foi inequívoca: o Estado estava fazendo sua parte no combate à imigração ilegal porque havia detido vários “estrangeiros ilegais”. “Eles conseguiram recuperar esses estrangeiros ilegais e fentanil suficiente para matar 2.000 pessoas no estado da Flórida”, disse DeSantis na entrevista coletiva em Pensacola.

No entanto, DeSantis não mencionou que a grande maioria das 22 prisões não estava relacionada à imigração, mas sim a homens e mulheres que vivem legalmente no país. DeSantis também deu a entender que imigrantes indocumentados foram presos por crimes relacionados a drogas, algo que não condiz com os registros de prisão fornecidos pela Patrulha Rodoviária da Flórida e dois dos quatro escritórios do xerife que participaram do esforço do estado. Uma revisão dos registros mostra que sete imigrantes indocumentados foram presos depois de serem parados pela polícia por infrações de trânsito – incluindo dirigir muito devagar, ter vidros excessivamente escuros e placas de registro falsificadas em seus veículos. Eles foram presos por suspeita de contrabando de seres humanos quando as autoridades descobriram que eles estavam no país ilegalmente e estavam viajando através das fronteiras estaduais. Autoridades de Imigração e Alfândega dos EUA não responderam a um pedido de informações sobre essas sete prisões e o status de imigração dessas pessoas.

Um dos detidos era procurado em El Salvador, seu país natal, por roubo e conspiração para cometer roubo, mostram os registros. O relatório da polícia disse que sua família havia providenciado para pagar a alguém $3.500 para levá-lo do Texas, onde ele atravessou ilegalmente para o país, para Miami. DeSantis enfatizou os detalhes dessa prisão durante a coletiva de imprensa. O governador não chamou a atenção para os crimes cometidos pelas 15 pessoas detidas e residentes legais, apesar de terem sido autuadas por porte de fentanil, metanfetamina, procurados por furto de arma de fogo ou procurados por agressão doméstica em outros partes do estado. As observações ilustraram o peso político que DeSantis está dando à questão da imigração enquanto busca a reeleição e é amplamente considerado um dos principais candidatos a desafiar o ex-presidente Donald Trump para a indicação do Partido Republicano em 2024.

Na coletiva de imprensa, por exemplo, ele enfatizou que a Flórida estava tomando medidas em relação à imigração porque a política federal estava prejudicando pessoas “inocentes” no estado. “Não deixe ninguém lhe dizer que as únicas pessoas afetadas pela imigração ilegal são as cidades fronteiriças. Isso não é verdade”, disse DeSantis.