DeSantis esperava receber 452 mil doses da vacina, mas os números estavam errados

Governador, Pfizer-BioNTech e governo federal possuem informações diferentes sobre a quantidade de doses a serem entregues nas próximas semanas. E a Flórida não é o único caso

0
746
Ron DeSantis se runiu com jornalistas nesta quarta-feira (12) em Tallahassee, FL
Governador alegou que Pfizer "suspendeu" os carregamentos para o estado. Pfizer nega (foto: flickr)

O governador Ron DeSantis disse nesta quarta-feira (16), que a Flórida poderia receber menos que as 452 mil doses da vacina contra o coronavírus que o estado esperava nas próximas semanas.

A culpa, segundo ele, é das fabricantes Pfizer-BioNTech que haviam programado dois carregamentos para o estado que foram suspensos.

“As entregas da Pfizer-BioNTech das próximas duas semanas estão em espera agora. Não sabemos se vamos conseguir ou não”, disse após uma reunião em West Palm Beach.

A resposta das farmacêuticas às alegações do político veio em forma de comunicado, nesta quinta-feira (17): “Não estamos tendo problemas de produção com nossa vacina, e nenhuma remessa está atrasada. Despachamos com sucesso todas as 2,9 milhões de doses solicitadas pelo governo dos EUA para serem entregues em locais especificados. Temos milhões de doses adicionais em nosso depósito, mas, no momento, não recebemos nenhuma instrução de envio”, diz o comunicado.

Poucas horas depois que divergência entre DeSantis e Pfizer-BioNTech ganhou publicidade, o McClatchy Washington Bureau relatou que o governo federal é o responsável pela confusão.

“Um sistema criado pelo Defense Department para orientar os estados no controle das vacinas tinha projeções desatualizadas e imprecisas de distribuição que induziram os governadores a esperar que receberiam muito mais doses do que chegarão nos próximos dias”, disse um oficial da McClatchy.

Quando os números do sistema foram atualizados, recentemente, eles mostraram que a Flórida deveria receber cerca de 120 mil doses até o último dia do ano. O que corresponde a cerca de um quarto do que DeSantis havia projetado.

O Sunshine State, entretanto, não é o único com problemas para obter o medicamento. O governador Jay Insle, de Washington, tweetou que o Centers for Disease Control (CDC) informou que o recebimento de vacinas “será cortado em 40% na próxima semana – e que todos os estados estão vendo cortes semelhantes”.

Agora, a esperança de DeSantis está na autorização da vacina da Moderna. Segundo ele, o estado pode receber cerca de 367 mil doses já na próxima semana se o produto for autorizado para uso emergencial pela Food and Drug Administration (FDA). Um painel consultivo da agência recomendou a autorização da vacina nesta quinta-feira (17).