DHS põe fim à política de liberar imigrantes na fronteira sem data para audiência de imigração

Devido ao grande volume de estrangeiros para serem processados todos os dias, imigrantes – na maioria famílias – estavam sendo liberados sem data para ir à Corte; secretário do DHS, Alejandro Mayorkas (foto), informou que essa prática acabou.

0
2482
Secretário do Department of Homeland and Secuity do governo Biden, Alejandro Mayorkas (foto: wikimedia)
Secretário do Department of Homeland and Secuity do governo Biden, Alejandro Mayorkas (foto: wikimedia)

O Departamento de Homeland Security (DHS) não vai mais liberar imigrantes – na maioria com famílias – sem uma data para comparecer ao tribunal de imigração. A informação foi dada pelo secretário do DHS, Alejandro Mayorkas, na terça-feira (16).

Devido ao grande volume de estrangeiros chegando todos os dias, os agentes estavam apenas entregando uma “notice to appear” aos estrangeiros, que eram liberados em seguida em território americano. Depois disso, os agentes enviavam uma correspondência com a data para comparecimento à Corte para o endereço fornecido pelo imigrante.

A audiência com o juiz de imigração é obrigatória e necessária para que o magistrado determine se o imigrante pode permanecer no País para buscar asilo ou se será deportado. Caso o imigrante não compareça à audiência, uma ordem de deportação é emitida imediatamente.

Segundo Mayorkas, entre janeiro e outubro de 2021, foram enviadas mais de 94 mil correspondências com datas para esses imigrantes comparecerem na frente do juiz.

“Nós não vamos mais emitir essas ordens posteriores à entrada do imigrante. Todos serão devidamente processados e já vão sair da fronteira com a data certa para comparecer ao tribunal”, disse Mayorkas.

O governo enfrenta críticas por parte da oposição, que acredita que liberar os imigrantes sem uma data resulta no não comparecimento e esses estrangeiros “desaparecem”. Eles alegam que, muitas vezes, o endereço fornecido não é real e esse imigrante “nunca mais é encontrado”. Mais de 1.7 milhões de imigrantes foram detidos na fronteira no ano fiscal de 2021. A maioria foi mandada de volta devido à pandemia