Dicas de Intercâmbio – Cheap and chic: 8 hostels de luxo espalhados pelo mundo

0
1950

A velha história de que albergue – hoje mais conhecido como hostel – é lugar de mochileiro, onde as instalações são simples, os lugares sem graça e onde tudo é compartilhado. Caiu por terra. Os jovens ainda preferem este tipo de acomodação, onde a vida comunitária é considerada parte fundamental das viagens, mas gostam que unir o melhor dos hostel – preço e interação – com as comodidades dos hotéis cinco estrelas. Aqui vai uma lista 8 hostel de luxo espalhados pelo mundo. Agora é só marcar as passagens!

1 -“Yha Castleton Losehill Hall” – Castleton, Reino Unido.
2 – “HOME” – Lisboa, Portugal
3 – “The Bowery House” – New York, EUA
4 – “Kex Hostel” – Reykjavik, Islândia
5 – “Plus Hostel” – Berlim, Alemanha
6 – “Granada Inn Backpackers” – Granada, Espanha
7 – “Hostel Equity Point” – Marrakech, Marrocos
8 – “Gilligan’s Backpackers Hotel and Resort” – Cairns, Austrália

As 10 carreiras com maiores salários para jovens nos Estados Unidos

As três profissões com maior remuneração para jovens profissionais com ensino superior, nos Estados Unidos, estão ligadas à área de tecnologia. Engenharia elétrica, desenvolvimento de software e engenharia mecânica são as carreiras com os salários mais altos para recém-formados em 2014, segundo um levantamento da Payscale em parceria com o site Business Insider.

A lista foi feita com base nos salários médios de cada profissão, incluindo comissões, bônus, participação nos lucros e outras formas de remuneração.

O grupo analisado compreende jovens profissionais com até dois anos de experiência. A lista inclui as seguintes profissões e remuneração em dólares por ano: Engenheiro eletricista ($61.4 mil), Desenvolvedor de Software ($59.8 mil), Engenheiro Mecânico ($58 mil), Analista de Negócios em TI ($54,4 mil), Analista de Supply Chain ($51,3 mil), Engenheiro Civil ($51 mil), Analista Financeiro ($50,6 mil), Auditor ($50 mil), Gerente de Operações ($47,2 mil) e Analista de Dados ($47 mil).

Imigração australiana divulga lista de profissionais em falta no país

A Austrália tem excelentes salários para todos os tipos de trabalho, não importa o setor, e, assim como o Canadá, é um país que importa muitos profissionais por falta de mão de obra local. Tais fatores vem atraindo cada vez mais trabalhadores de outras nacionalidades. Isso vale para aqueles já consolidados no mercado, como também para estudantes, que aproveitam a estadia para conciliar estudo e algum trabalho. Se você é um deles e está pensando em morar e trabalhar por lá, novas oportunidades estão se abrindo. O Departamento de Imigração australiano acaba de anunciar formalmente a lista de profissões em demanda para a Austrália no próximo ano.

A falta de profissionais qualificados faz com que a Austrália tenha uma demanda altíssima de trabalhadores em determinadas carreiras, e a Skilled Occupation List (SOL), válida de julho deste ano a julho de 2015, é usada pelo governo australiano para selecionar profissionais de diversas áreas que estejam em falta na região.

Ao todo, são 192 carreiras na lista, entre elas, gerentes de projetos em construção civil, arquitetos, engenheiros (em diversas modalidades, como químico, ambiental, biomédico, telecomunicações e de petróleo), auditores externo e interno, cirurgião (geral e cardíaco), dentistas, osteopatas e médicos em diferentes especialidades. Chefs e pedreiros foram adicionados este ano à lista de ocupações qualificadas em demanda. E, de acordo com o site BrazilAustralia.com, houve conversações sobre a carreira de contador ser removida da SOL, mas, na lista publicada no dia 1º deste mês, ela continua lá.

Caso uma determinada profissão esteja em demanda na Austrália, o profissional daquela área tem a possibilidade de se candidatar para o visto de residência australiano ou mais chances de conseguir um emprego na função.

Nesta última lista, o governo australiano retirou cinco carreiras. São elas: farmacêutico de hospital, farmacêutico de loja, engenheiro de manutenção de aeronaves (aviões), engenheiro de manutenção de aeronaves (mecânica) e engenheiro de manutenção de aeronaves (estruturas). Caso você esteja interessado em saber se a sua profissão está sendo requisitada pelo governo australiano, confira no website (www.immi.gov.au/Work/Pages/skilled-occupations-lists/sol.aspx) a lista completa (em inglês).

Como se inscrever para universidades americanas

O website www.coursera.com oferece o curso “Applying to U.S. Universities” totalmente online e gratuito. Mais de 10 mil pessoas em todo mundo participam do curso oferecido em inglês com o objetivo de entender melhor o processo americano de inscrições nas faculdades. Os alunos que completarem o curso com rendimento acima de 70% levam um certificado de participação. Ao todo são cinco semanas de curso no estilo vídeo-aula, com testes e sala de bate papo com pessoas do mundo inteiro que têm o mesmo objetivo: estudar em uma universidade americana.

Diferente das universidades do Brasil, onde somente uma boa nota em um teste (vestibular, Enem etc) pode colocar o aluno dentro da sala de aula, as universidades americanas possuem um processo que inclui, não só notas, mas até a personalidade do aluno. Ao todo, esse processo pode chegar a oito etapas ou tipos de documentos que deverão ser submetidos ao departamento de registro de alunos. Tudo isso para saber se o aluno é realmente bom e se vale a pena lhe dar uma vaga.

Cresce o número de brasileiros que fizeram intercâmbio para estudar

O número de brasileiros que fizeram intercâmbio para estudar no exterior cresceu cinco vezes em nove anos. Os países de língua inglesa – pela ordem, Canadá, Estados Unidos e Inglaterra – são os destinos preferidos dos brasileiros que embarcam para aprimorar os conhecimentos lá fora. Em 2003, 34 mil brasileiros foram para o exterior fazer intercâmbio. Em 2013, foram 175 mil estudantes – cinco vezes mais.

Um dos pacotes mais procurados é o de quatro semanas nos Estados Unidos ou no Canadá com curso de inglês e hospedagem em residência estudantil. Os preços variam muito, depende da escola e da cidade em que o aluno deseja ficar. O website www.usahelp4u.com organizou uma lista de escolas nos EUA com preços e informações lado a lado para facilitar a busca pela melhor oportunidade.