Imigração Manchete Notícias

Dois ônibus com imigrantes chegam ao condado de Palm Beach

Eles estavam detidos desde o Ano Novo no Parque Nacional Dry Tortugas, em Florida Keys, onde desembarcaram na esperança de fixar residência no território americano

Ônibus chegam na sede do U.S. Customs and Border Protection (CBP) em Riviera Beach (foto: WPTV screenshot)
Ônibus chegam na sede do U.S. Customs and Border Protection (CBP) em Riviera Beach (foto: WPTV screenshot)

Dois ônibus lotados de imigrantes chegaram na sede do U.S. Customs and Border Protection (CBP) em Riviera Beach, no condado de Palm Beach, na noite desta quinta-feira (5). Eles estavam detidos há quase uma semana no Parque Nacional Dry Tortugas, em Florida Keys, onde desembarcaram na madrugada do Ano Novo, na esperança de fixar residência em território americano. Todos são cubanos e ficarão sob custódia do CBP enquanto aguardam deportação.

No total, sete ônibus partiram de Dry Tortugas para diferentes condados do sul da Flórida para ajudar a processar o grande volume de imigrantes. Estima-se que mais de 500 fugitivos da ilha chegaram na região nos últimos dias, além de um pequeno grupo de haitianos. Centenas foram enviados para Key West, que lotou um pavilhão com os estrangeiros.

Os cubanos alegam estar fugindo da perseguição política do governo de Raul Castro, e também de uma economia que vai de mal a pior. Já os haitianos deixam sua terra natal enquanto o país mergulha na violência das gangues e pobreza extrema.

A travessia para os EUA é feita pelo mar, em embarcações precárias. A Guarda Costeira tem montado operações para interceptar as balsas no oceano e devolvê-las aos seus países. Mas nos últimos meses, o fluxo intenso tem dificultado o trabalho dos agentes.

O aumento ocorre quando o presidente Biden anuncia uma estratégia que permita até 30 mil cidadãos da Venezuela, Nicarágua, Cuba e Haiti com patrocinadores financeiros dos EUA entrarem legalmente no país a cada mês. Aqueles que cruzarem a fronteira de forma irregular serão imediatamente expulsos sob o Título 42, uma lei de saúde pública que foi invocada pela primeira vez pelo governo Trump no início de 2020.