Dólar ultrapassa a barreira dos R$ 4 pela primeira vez na história do Plano Real

Moeda é comercializada no Brasil a R$ 4,046; desde a criação do real, em 1994, o dólar chegou a atingir R$ 4 (durante o dia em 10 de outubro de 2002), mas nunca tinha superado esse valor

0
1420

DA REDAÇÃO (com Reuters e UOL) – Um recorde foi quebrado no Brasil na manhã desta terça-feira (22): o do preço do dólar. A moeda americana está sendo negociada no Brasil ao valor de R$ 4,046.

É a primeira vez que o dólar comercial é vendido a mais de R$ 4. Desde a criação do Plano Real, em 1994, o dólar chegou a atingir R$ 4 durante do dia em 10 de outubro de 2002, mas nunca tinha superado esse valor.

Por volta das 10h30, a moeda norte-americana subia 1,65%, a R$ 4,046 na venda, maior valor atingido durante o dia na história do real.
O valor do dólar varia ao longo do dia e, por isso, a cotação de fechamento não necessariamente será a maior da história.

Investidores aguardavam a votação dos vetos da presidente Dilma Rousseff no Congresso e estavam preocupados com a possibilidade de o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) elevar os juros ainda este ano.

Nas casas de câmbio, a disparada do dólar mostra seus reflexos. Levantamento do portal G1 feito junto a casas de câmbio mostra que na manhã desta terça-feira, a cotação chegava a R$ 4,50 no cartão pré-pago, com o IOF de 6,38% incluído, na Confidence Câmbio. Em espécie, a moeda sai por R$ 4,27. Na cotação, o dólar chegava a R$ 4,489 no cartão e a R$ 4,276 em espécie (ambos com imposto incluído). Na Vips Turismo, os valores eram de R$ 4,22 e R$ 4,45, respectivamente.

Brasileiro gastando menos for a do país
A alta recorde na moeda americana já impacta os gastos de brasileiros em viagens internacionais. Em agosto, o montante gasto por brasileiros fora do país chegou a um total de $1,263 bilhão -uma queda de 46,3% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando os gastos com turismo no exterior tinham sido de $2,35 bilhões.

No ano, os gastos de habitantes do Brasil que visitam outros países também teve queda. De janeiro a agosto, essas despesas somaram $12,879 bilhões, contra $17,201 bilhões em igual período do ano passado, o que representa queda de 25,1%.

Os números são do Banco Central (BC) e foram divulgados pelo portal UOL nesta terça-feira.