Em discurso na Carolina do Norte, Trump afirma que “Estados Unidos estão sendo destruídos pela esquerda radical”

Republicano fez discurso para apoiadores da Carolina do Norte no sábado (5); ex-presidente bateu mais uma vez na tecla da “fraude nas eleições de 2020”

0
1154
Proposta inicial de Trump era entregar mais de 800 milhas construídas até o final de 2020 (foto: Reprodução TV)
Donald Trump (foto: Reprodução TV)

O ex-presidente Donald Trump participou, no sábado (5), de um comício para apoiadores na Carolina do Norte. Em 90 minutos de discurso, o ex-presidente bateu na tecla que “as eleições 2020 foram fraudadas” e disse que os EUA estão sendo “destruídos pela esquerda radical”.

“O que aconteceu nas últimas eleições foi um desastre”, disse o ex-presidente. “E lembrem-se: eu não estou tentando destruir a democracia deste País, estou tentando salvá-la”, disse o republicano.

A participação na convenção da Carolina do Norte é a primeira de uma série de aparições que Trump fará neste ano, visando as eleições legislativas de 2022.

“A sobrevivência da América depende de nossa capacidade de eleger republicanos em todos os níveis, começando com as eleições do próximo ano”, falou.

Trump criticou a política de imigração de Joe Biden e disse que hoje, “qualquer um” pode entrar no país. Segundo ele, Biden faz com que os EUA “se dobrem à China” e sejam “humilhados pelo mundo”.

Ele defendeu medidas de retaliação contra o país asiático, como o aumento de impostos sobre todos os bens chineses que entrem nos EUA.

O republicano chamou as investigações relacionadas às suas empresas de “complô da esquerda radical”. A Justiça de Nova York tem investigado se a empresa de Trump relatou falsamente os valores das propriedades para garantir empréstimos e obter benefícios econômicos e fiscais.

Segundo o republicano, a investigação vai se arrastar “até novembro de 2024”, quando será realizada a próxima eleição presidencial nos Estados Unidos. Trump não disse se será candidato, mas afirmou estar “ansioso” para a chegada da data. (Com informações da CNN e Poder 360)