Em discurso na Convenção Democrata, Biden promete tirar os EUA da “escuridão”

No discurso que fechou a Convenção do Partido Democrata nesta quinta-feira (20), o candidato pediu a união de todos os que desejam romper com a administração de Donald Trump.

0
1220
Convenção Nacional do Partido Democrata Agosto, 2020. ( foto: REUTERS/Kevin Lamarque)
Convenção Nacional do Partido Democrata Agosto, 2020. ( foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

A Convenção Nacional do Partido Democrata terminou na noite desta quinta-feira (20), com o discurso que Joe Biden considerou “o mais importante dos seus 47 anos de vida pública”.  Falando num auditório praticamente vazio por causa da pandemia, com imagens transmitidas ao vivo pela TV e pela internet, ele descreveu a eleição de novembro como uma “batalha pela alma dos EUA”.

“O presidente atual deixou o país no escuro por muito tempo. Dou minha palavra, se me levarem à presidência, serei uma fonte de luz, não de escuridão”, disse ao abrir o pronunciamento.

Ele discursou desde Wilmington, em Delaware, e fez apelo ao eleitorado de centro e de esquerda do Partido Democrata, assim como os republicanos que desejam romper com a administração de Donald Trump. 

“Podem estar certos: unidos, podemos e vamos superar esse momento na América. É uma honra e com muita humildade eu aceito essa indicação”.

O democrata criticou duramente a gestão Trump na crise gerada pela pandemia:  “Não precisa de muita retórica. Apenas julguem pelos fatos: 170 mil mortos, 5 milhões de infectados, 15 milhões de desempregados, mais de 10 milhões sem plano de saúde, uma em cada seis pequenas empresas fechando”, destacou.

Segundo Biden, além da crise causada pela Covid-19, os EUA enfrentam três grandes desafios: crise econômica, clamor por justiça racial e as “inegáveis” ameaças das mudanças climáticas. “É uma tempestade perfeita. Estamos prontos para mudar? Estamos”, afirmou.

“Nosso presidente atual falhou no seu dever mais básico: nos proteger. E isso é indesculpável”.

Biden mencionou  os eventos de Charlottesville, há três anos, quando integrantes de grupos de extrema direita fizeram uma manifestação na cidade que terminou em violência.

“Feche os olhos e lembre dos neonazis, dos klansmen [membros do grupo racista Ku Klux Klan], dos supremacistas brancos carregando tochas, com as veias saltadas, despejando a mesma bile anti-semita ouvida na Europa nos anos 1930”, disse Biden.

“E lembre do que o presidente disse: havia ‘pessoas muito boas dos dois lados’. Foi um alerta para o país. E para mim um chamado à ação. Naquele momento soube que teria de ser candidato. Meu pai me ensinou que silêncio é cumplicidade.”

Joe Biden tem 77 anos e foi vice nos dois mandatos de Barack Obama. Advogado, começou a carreira aos 29 como senador pelo estado de Delaware. Em novembro, ele concorrerá ao lado de Kamala Harris ao posto de 46º presidente dos Estados Unidos.

A Convenção Nacional do Partido Republicano que confirmará a candidatura de Donald Trump à reeleição será semana que vem.