Em discurso na Cúpula do Clima, Biden promete cortar emissões de gases poluentes

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e outros líderes de 40 países participam da Cúpula de Líderes sobre o Clima, que está sendo realizada virtualmente; Bolsonaro se comprometeu a zerar até 2030 o desmatamento ilegal

0
598
Presidente Joe Biden participa de uma Cúpula do Clima virtual com líderes mundiais (Foto: REUTERS/Tom Brenner)
Presidente Joe Biden participa de uma Cúpula do Clima virtual com líderes mundiais (Foto: REUTERS/Tom Brenner)

DA REDAÇÃO – Em discurso na Cúpula de Líderes sobre o Clima, o presidente Joe Biden garantiu que vai reduzir a emissão de gases poluentes em 50% até o ano de 2030. O encontro virtual está sendo organizado pelos Estados Unidos e acontece nesta quinta e sexta-feira.

A Cúpula de Líderes sobre o Clima marca a volta dos EUA nas discussões internacionais sobre o clima, interrompidas durante a gestão de Donald Trump com a saída do Acordo de Paris.

Os EUA são responsáveis, hoje, por cerca de 15% das emissões de gases poluentes. Biden afirmou que, até 2030, a emissão de gases poluentes vai chegar ao patamar de emissões registrado em 2005. “Quando falamos sobre clima, eu sei que temos muito trabalho pela frente e nenhum país pode resolver essa crise sozinho. Eu penso nos nossos jovens e no futuro que vamos deixar para eles”, disse Biden em seu discurso. “Por isso eu proponho um grande projeto de infraestrutura nos Estados Unidos, sempre preocupados com o meio ambiente. Estamos preparados para agir, todos, desde pequenas empresas às grandes corporações”.

Líderes de 40 países participam do encontro, entre eles, o presidente Jair Bolsonaro, que falou sobre os programas brasileiros de combate às mudanças climáticas. Bolsonaro se comprometeu a zerar até 2030 o desmatamento ilegal, reduzir as emissões de gases e fortalecer os órgãos ambientais brasileiros, duplicando os investimentos em fiscalização.

“À luz de nossas responsabilidades comuns, porém diferenciadas, continuamos a colaborar com os esforços mundiais contra a mudança do clima. Somos um dos poucos países em desenvolvimento a adotar e a reafirmar as Contribuições Nacionalmente Determinadas, com metas absolutas de redução de emissões, inclusive para 2025, de 37%, e de 40% até 2030”, afirmou o presidente na cúpula.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, também discursaram. A vice-presidente Kamala Harris fez um breve discurso para abrir o encontro.

O encontro reúne nações estratégicas para o combate à crise global das mudanças climáticas, seja por seu pioneirismo em ações de enfrentamento à devastação ambiental, ou por serem grandes emissores de gás carbono.

A Índia, um importante aliado do Brasil e integrante do BRICS, também participa do evento e conta com discurso do primeiro-ministro Narendra Modi.

A expectativa é de que a Cúpula seja um ambiente propício para negociações que garantam o aprofundamento dos compromissos firmados no âmbito do Acordo de Paris, com a revisão das metas estabelecidas até 2030 para controlar o aquecimento global dentro do limite de 1,5ºC. (Com informações da CNN e G1).