Estudantes brasileiros ganham bolsas de estudo nos EUA

O escritório de advocacia Castro Law Group sorteou três bolsas de estudo para brasileiros portadores de visto F1 no valor de $1.5 mil cada.

0
1440
Os contemplados pela bolsa de estudos, Luciana, Angelo e Adriana

Quem tem visto de estudante (F1) nos Estados Unidos sabe: esse tipo de visto exige muito do estrangeiro. Além das mensalidades caras das escolas, o estudante internacional tem que cumprir à risca diversas regras, horários, não pode trabalhar e sequer pode faltar às aulas sem justificativa. 

Recentemente, o governo Trump tentou implementar uma medida para dificultar ainda mais a vida dos portadores de visto F1. Em tempos de pandemia, o governo queria que os estudantes voltassem para a sala de aula, caso contrário, teriam que retornar aos seus países de origem. Graças à uma juíza de Massachusetts, o governo federal acabou recuando e a medida não entrou em vigor. 

Diante desse cenário, o escritório de advocacia Castro Law Group, localizado em Pompano Beach, sorteou três bolsas de estudo para portadores de visto F1 no valor de $1.5 mil cada. Os sorteados foram: Adriana da Rocha Silva, Angelo Trindade Menezes e Luciana Maia da Silveira. 

Adriana mora em Coral Springs (FL) e estuda na Uceda School. Ela vive nos EUA há seis anos com o marido e duas filhas. “Fiquei extremamente feliz por ter sido uma das sorteadas. Neste tempo de crise mundial e com o dólar muito alto, está muito difícil para para manter a nossa vida aqui. Esse dinheiro vai me ajudar demais”, disse Adriana.

O dinheiro para pagar a mensalidade da escola também chegou em ótima hora para Luciana, que mora em Orlando e estuda na Mila English School. Ela está nos Estados Unidos há quase seis anos com visto de estudante, é casada e tem uma filha de dez anos. “Com a pandemia, as aulas passaram a ser online e esse modelo não me agrada muito. Cheguei a pensar em desistir, assim como muitos colegas. Ganhar a bolsa me deu um novo ânimo e vontade de continuar”, comenta Luciana, que vive com a renda que vem do Brasil. “O dólar está muito alto e está muito difícil, por isso, essa ajuda foi muito bem-vinda”. 

Para Angelo, que está nos Estados Unidos com a esposa há um ano e oito meses e estuda na Mila English School em Miami, a ajuda veio para reforçar que ainda existem pessoas que se preocupam com o próximo. “Essa ajuda mostra que ainda existem pessoas boas e que acreditam. Todos podem de alguma forma fazer a diferença na vida de algumas pessoas, que seja com apoio financeiro, com palavras, com gestos, não importa a forma, o importante é dar esperança em momentos difíceis como este em que estamos vivendo”.

A proprietária do escritório e criadora do programa, a advogada Renata Castro, afirma que decidiu sortear as bolsas para ajudar esses estudantes em momento difícil. “Os portadores de visto de estudante não têm autorização para trabalhar, não foram beneficiados por nenhum programa de ajuda do governo e são obrigados a continuar estudando e pagando a escola para não perder o visto. As regras de distanciamento social e a alta do dólar colocaram estudantes internacionais em situação precária,” disse Renata Castro.

Advogada Renata Castro, do escritório de advocacia Castro Law Group

“Os estudantes brasileiros se encontram com dificuldades para fazer os pagamentos das mensalidades, colocando em risco seu status imigratório”, acrescenta.

Para mais informações sobre vistos de estudante, extensões e outras formas de migrar legalmente para os Estados Unidos acesse o site https://castrolegalgroup.com/ ou ligue +1 954-204-0393.