Embaixada dos EUA em Brasília emite alerta sobre Covid-19 e violência: “Não viaje para o Brasil”

Em comunicado dirigido aos cidadãos americanos, a Embaixada alertou sobre os risco da pandemia que já causou a morte de mais de 100 mil pessoas no Brasil, e listou uma série de cuidados que o estrangeiros devem ter em relação a grande onda de violência que assola o País.

0
2695
A Embaixada americana em Brasília desencorajou o desembarque de estrangeiros no Brasil, mesmo após a reabertura dos aeroportos (foto: wikimedia)
Embaixada americana disponibilizou mais vagas para entrevistas de visto (foto: wikimedia)

“Não viaje para o Brasil devido à covid-19”. Esta foi a forma que a Embaixada dos Estados Unidos em Brasília encontrou para alertar os cidadãos americanos que queiram ou precisem visitar o país.

Além de chamar a atenção para os ricos da pandemia do novo coronavírus, que já infectou mais de 3 milhões de pessoas no Brasil e causou a morte de mais de 100 mil , o comunicado também contra indicou o desembarque dos estrangeiros devido à grande violência urbana.

“Crimes violentos, como assassinato, roubo a mão armada e sequestro-relâmpago são comuns em áreas urbanas, dia e noite. Atividades de gangues e do crime organizado estão espalhadas. Assaltos são comuns. Funcionários do governo americano estão desencorajados a usar ônibus públicos, municipais em todas as partes do Brasil por causa do elevado risco de roubo e assalto a qualquer hora do dia e especialmente à noite”, diz o comunicado.

A Embaixada também indicou os lugares que os cidadãos americanos não devem visitar, como cidades satélites de Brasília e favelas . Algumas das recomendações incluem: não reagir a assaltos e evitar caminhadas nas praias depois de escurecer.

O texto menciona ainda que faixas de fronteira com Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia, Guiana, Suriname, Guiana Francesa e Paraguai também deverão ser evitadas e que há apenas duas exceções. “Isso não se aplica ao Parque Nacional de Foz do Iguaçu e ao Parque Nacional do Pantanal”, diz o comunicado.

Para os norte-americanos que visitarem o Brasil, a embaixada pede que os cidadãos, ao retornarem aos EUA, fiquem em isolamento por 14 dias.

Reabertura dos aeroportos

Recentemente, o Brasil reabriu os aeroportos para viajantes estrangeiros vindos de qualquer País, exigindo, apenas, a apresentação de um plano de saúde. No comunicado aos americanos, a Embaixada desencorajou o desembarque no Brasil, mesmo com a permissão do governo brasileiro.

Embora o Brasil tenha aberto sua fronteira para visitantes que viajam de avião, os cidadãos norte-americanos que consideram uma viagem internacional devem estar cientes de que o Brasil permanece no Nível 4 de Consultoria de Viagem (Não Viajar) e continua tendo um alto número de casos diários de COVID-19.

Não há mais a exigência de apresentar um teste COVID-19 negativo para entrar no Brasil nem um período de quarentena obrigatório na chegada.

A entrada nos Estados Unidos permanece suspensa, por Proclamação Presidencial, para estrangeiros de todas as nacionalidades, incluindo brasileiros, que estiveram no Brasil até 14 dias antes de sua chegada ao porto de entrada. As restrições de viagem não se aplicam a cidadãos dos EUA, residentes permanentes legais (titulares do Green Card), a maioria dos familiares imediatos de cidadãos dos EUA e residentes permanentes legais e categorias específicas de titulares de vistos individuais que são identificados na Proclamação. Viajantes do Brasil para os Estados Unidos podem encontrar atrasos inesperados durante o processo de check in e embarque e são aconselhados a chegar ao aeroporto antes do normalmente recomendado.

Para acessar o comunicado completo em inglês, clique aqui