Empresa de máquinas de votação processa Rudy Giuliani em $1,3 bilhão

Texto da ação por difamação contra o advogado de Trump e ex-prefeito de New York cita enormes prejuízos por conta de alegações infundadas de fraude e ameças de morte recebidas por funcionários da empresa

0
1126
Rudy Giuliani pede aos apoiadores de Trump que "julguem em combate", antes da multidão invadir o Capitólio, em Washington D.C., no dia 6 de janeiro (REUTERS/Jim Bourg/File Photo)

A empresa de máquinas de votação Dominion Voting Systems Inc. entrou com uma ação na Justiça contra o advogado do ex-presidente Trump, Rudy Giuliani, demandando $1.3 bilhão por difamação, alegando que após a derrota de Trump Giuliani fez alegações infundadas de fraude eleitoral que envolveram o nome da empresa.

A empresa, com sede em Denver, Colorado, já havia entrado anteriormente com outra ação contra a advogada Sidney Powell, da equipe do ex-presidente, pelas mesmas alegações não comprovadas de fraude envolvendo a Dominion.

Um alto funcionário da Dominion, Eric Coomer, entrou também com uma ação contra a coordenação de campanha do ex-presidente, alegando que ele teve de esconder-se por causa de ameaças de morte vindas de apoiadores de Trump.

Giuliani disse em nota à imprensa que a ação visa intimidar outros que queiram exercer seu direito de expressão. “A ação de difamação no valor de $1.3B da Dominion vai servir para que eu investigue sua história, finanças e práticas total e completamente”, disse o advogado, acrescentando que ele cogita por sua vez entrar com uma ação contra a empresa por violação de direitos.

Trump e seus aliados passaram dois meses negando a vitória de Biden, alegando sem provas que a derrota do ex-presidente foi causada por fraude generalizada.

Na ação, a Dominion diz que “[Giuliani] e seus aliados manufaturaram e disseminaram a ‘Grande Mentira’, que previsivelmente viralizou e enganosamente levou milhões de pessoas a acreditarem que a Dominion roubou seus votos e armou a eleição”. A empresa diz que entrou com a ação para “acertar as coisas” e “ficar ao lado dos nossos funcionários e do processo eleitoral.”

Um grupo de proeminentes advogados de New York solicitaram ao Judiciário do estado a suspenção da licença de advogado de Giuliani, pelas falsas alegações contidas nos inúmeros processos perdidos para reverter o resultado das eleições. O pedido cita ainda o discurso do ex-prefeito de New York no dia 6 de janeiro, incitando apoiadores de Donald Trump a “julgarem em combate”, antes da multidão invadir e saquear o Capitólio, deixado cinco pessoas mortas.

A Dominion disse que teve de gastar $565 mil em segurança privada para proteger funcionários que receberam ameaças de morte. “As declarações de Giuliani foram calculadas – e resultaram – para provocar revolta e causar enorme dano à Dominion”.

A Dominion, fundada em 2002, é um dos maiores fabricantes de máquinas de votação dos EUA, e seus equipamentos foram usados em mais de duas vinte estados nas eleições de 2020.

Na semana passada, Giuliani admitiu que recebia $20 mil por dia para defender as alegações infundadas de fraude levantadas por Trump.