Entidade pró-imigrantes entra na Justiça contra o governo por prisões em entrevistas de casamento

ACLU reuniu casais em que o cônjuge imigrante foi detido durante a entrevista para obtenção do green card

0
1722
Foto Divulgação ICE

Seis casais de Maryland entraram com uma ação conjunta na Justiça contra o governo americano por prisões em entrevistas para obtenção do green card. A ação foi impetrada pelo American Civil Liberties (ACLU), entidade que atua em defesa de imigrantes.

Segundo a ACLU, a situação está se repetindo em vários estados e é mais comum na Flórida, Massachusets, New York, Virgínia, Illinois e Califórnia.

O casal Alyse e Elmer Sanchez estão entre os casais incluídos na ação. Os dois têm dois filhos juntos. Eles passaram pela entrevista, foram aprovados, mas ao saírem da sala de entrevista, Sanchez foi detido pelo ICE. Ele tinha uma ordem de deportação em aberto.  “Isso foi uma armadilha, um truque para nos levar até lá e o prendê-lo”, disse a mulher.

As leis federais permitem que cidadãos dos Estados Unidos como Alyse tentem legalizar o status de seus cônjuges, como foi o caso de Elmer que vive ilegalmente no país. Ele foi liberado depois que a ACLU para responder em liberdade ao processo.

Os registros mostram que o U.S. Citizenship and Immigration Services (USCIS) aprovou 23.253 processos com pedidos de perdão e assinaram todos os documentos legais antes de os cônjuges, filhos ou pais de cidadãos deixarem o país e solicitar a união legal de suas famílias.

Mas a American Civi LIberties Union (ACLU) afirma que um número crescente de oficiais não está cumprindo esta regra e estão prendendo cônjuges imigrantes após entrevistas. A entidade, que assumiu este processo, se baseia em uma queixa semelhante realizada em Massachusetts.

O caso de Maryland está com o juiz distrital George J. Hazel, que já reverteu a deportação de um chinês após uma entrevista de casamento bem-sucedida em Baltimore. Em novembro passado, pouco antes de o imigrante desembarcar em Xangai, o magistrado afirmou que “o governo não pode usar entrevistas de casamento para prender imigrantes indocumentados que procuram se legalizar através de uma lei que existe”. (Com informações da AP)