Local Manchete

Erosão na praia de Daytona Beach revela navio naufragado há mais de dois séculos

Erosões causadas pelas passagens dos furacões Nicole e Ian revelaram destroços do que pode ser uma embarcação vista pela última vez em 1800

Estrutura de cerca de 80 pés de comprimento foi descoberta por banhistas (foto: Volusia County)
Estrutura de cerca de 80 pés de comprimento foi descoberta por banhistas (foto: Volusia County)

Destroços de um enorme objeto de madeira foram vistos por banhistas despontando na areia da praia de Daytona Beach Shores, na Flórida, no fim de semana do Thanksgiving. O achado chamou a atenção de arqueólogos que iniciaram estudos para identificar a misteriosa estrutura. Nesta terça-feira (6), eles revelaram que trata-se de uma embarcação de mais de 80 pés de comprimento que desapareceu há mais dois séculos.

A descoberta só foi possível por causa da forte erosão na praia provocada pelos furacões Ian e Nicole. As peças ainda estão sendo analisadas para descobrir a origem e em quais circunstâncias o navio afundou.

Kevin Captain, porta-voz do condado de Volusia, disse que não há planos para remover a embarcação da areia, não apenas porque o custo seria de milhões de dólares, mas porque ele está protegido onde está: “Embrulhado no solo, livre do contato com veículos e turistas”, disse ele.

Após a passagem de furacões e tempestades é comum que erosões costeiras revelem segredos escondidos no fundo dos oceanos. No condado de Martin, também na Flórida, um cemitério de nativos-americanos foi desenterrado pelo vento e pelas ondas de Nicole, no mês passado, expondo os restos mortais de ao menos seis pessoas.

Já em 2020, a tempestade tropical Eta ajudou desvendou o desaparecimento do navio Caroline Eddy, que desapareceu no ano 1880 entre a Flórida e New York. A carcaça do cargueiro estava enterrada na praia de St. Augustine. “Não é que está lá no outro dia não está, existe esse mistério, são séculos de história, e isso realmente cativa a imaginação”, declarou Kevin.

Baixe nosso aplicativo