Escritoras brasileiras promovem sarau neste domingo

O evento pioneiro acontece na orla de Hermosa Beach, na região metropolitana de Los Angeles, e promete ser semestral

0
587
As escritoras Cirla Cole, Luana Laubeski e Beatris Hofmann lerão trechos de seus livros (Foto: Divulgação)
As escritoras Cirla Cole, Luana Laubeski e Beatris Hofmann lerão trechos de seus livros (Foto: Divulgação)

Beatris Hofmann, Cirla Cole, e Luana Laubeski moram em Los Angeles há anos e resolveram contar suas experiências em livros bem distintos. Neste domingo, elas se reúnem para uma tarde de autógrafos conjunta, além de lerem trechos das suas obras e bater papo com os leitores, com direito a música ao vivo e churrasco.

O encontro, batizado de Esplêndido, acontece no Silvio’s Brazilian BBQ (20 Pier Ave), em Hermosa Beach, a partir das 15h, na véspera do feriado americano do Dia do Trabalho (Labor Day) e próximo às comemorações de 7 de Setembro no Brasil. De acordo com a organizadora Luana, a ideia é realizar esse evento duas vezes por ano, sempre em março e setembro.

HOLLYWOOD

Beatris Hofmann é uma gaúcha de Caxias do Sul, formada em Produção de Filme e TV, estudante de Direção e Roteiro na UCLA. Radicada em Los Angeles há 8 anos, ela resolveu contar em “Minha Vida na América” (Ed. Livr(a), 176 págs., $22 na Amazon em papel e disponível gratuitamente para quem tem assinatura Kindle Unlimited) aquela que considera “a experiência mais enriquecedora da sua vida”.

Entre adaptações difíceis e descobertas fascinantes, Beatris teve ainda que lidar com um imprevisto maior do que qualquer outro que pudesse ter imaginado: uma doença cardíaca grave da mãe, que a acompanhou nessa jornada.

POESIAS MULTICULTURAIS

Luana Laubeski já morou em três continentes, fala fluentemente inglês, espanhol e português, e tem muitas histórias para contar. São amores, encontros, separações, saudades, e choques culturais que aos poucos moldam novas formas de ver o mesmo mundo, substituindo a vastidão inicial pela inesperada familiaridade. Assim é esta paulista, neta de americanos e que também conquistou a cidadania espanhola nas aventuras que inspiram o livro “Poesias de Andança, Andança de Poesias” (Ed. Scortecci, 192 págs., $25).

Este é o terceiro livro de Luana, que é atriz, fez mestrado em direção teatral em Londres, e está sempre buscando novos saberes. Recentemente, ela se tornou especialista profissional em vinhos. Jura que não planeja atravessar oceanos novamente tão cedo. A estadia de seis anos na Califórnia, onde mora sua família, é pra valer.

Diferentemente dos dois primeiros livros que escreveu mais jovem, este vem com poemas e crônicas traduzidos para as três línguas. A ideia surgiu como forma de unificar os textos, escritos em diferentes idiomas, e proporcionar acessibilidade ao material para todos que de alguma forma fizeram parte desses 20 anos de história andarilha fora do Brasil.

Luana promete declamar algumas de suas poesias no evento, acompanhada por música ao vivo do marido, Denys Christian.

MATERNIDADE

A intérprete Cirla Cole compartilha suas experiências mais íntimas no livro “Tudo o que queriamos era um filho” (172 págs., $14.99 no Amazon Prime e disponível gratuitamente no Kindle Unlimited). Ela conta que escreveu suas memórias “para aliviar a dor, compartilhar as experiências e ajudar outras pessoas, orientando-as sobre questões relativas à infertilidade”.

A autora compartilha sua emocionante jornada de oito anos de tratamentos contra a infertilidade: 6 inseminações, 3 FIVs, um total de 2.250 injeções, várias pílulas, 3 abortos espontâneos, 3 transfusões de sangue, duas cirurgias e 6 tentativas de barriga de aluguel. O livro conta com ilustrações de seu filho Kenneth, que hoje está na adolescência.

Cirla escreveu ainda um segundo livro, “A galinha prestativa” (32 págs., $4,90 no Amazon Prime), desta vez para explicar ao filho ainda pequeno o que era barriga de aluguel e infertilidade. Ambas as obras têm também edições em inglês e espanhol.

O evento tem apoio do Consulado Geral do Brasil em Los Angeles e é patrocinado por Natural Shine, Sublime Aesthetics, Katia Neves Berlung Realtor e Bossa Wine. A entrada é franca. 

Reabrem inscrições para auxílio-aluguel em Los Angeles

O programa “CA COVID-19 Rent Relief”, uma espécie de auxílio-aluguel pago pelo governo a inquilinos financeiramente afetados pela pandemia, foi anunciado em março. Mas em Los Angeles não deu pra quem quis. As inscrições se encerraram em abril e continham exigências muito maiores do que para o restante da Califórnia.

Passados quase seis meses, a cidade reconheceu que só contemplou cerca de 10% dos pedidos de ajuda e que não tem condições de processá-los com a celeridade necessária, já que muita gente pode ficar na mira dos despejos quando a moratória sobre aluguéis atrasados acabar em 1º de outubro.

A saída encontrada foi devolver ao Estado a coordenação do programa. Assim, quem cadastrou sua documentação no site da cidade de Los Angeles agora vai ter que se recadastrar no site estadual housingisikey.com. As novas inscrições foram abertas nesta quarta-feira. A verba pública disponível para este auxílio na Califórnia é de $ 5,2 bilhões.

Para evitar que possam ser despejados judicialmente a partir de outubro, os inquilinos terão que cumprir uma das seguintes condições: 1) arcar integralmente com o aluguel do mês e cobrir pelo menos 25% dos atrasados desde setembro de 2020; ou 2) estar inscrito em um programa de assistência de aluguel oferecido pelo Estado ou governo local.

O programa contemplará todos os qualificados independente de status imigratório. Portanto, não são exigidos documentos de comprovação de imigração para se inscrever.

O benefício é aberto a todos que ganhem até 80% da renda mediana regional, um teto que varia conforme o condado. Em Los Angeles, o valor-limite estabelecido é de $44,800 para um indivíduo e $64,000 para uma família de quatro pessoas. O governo estadual publica anualmente uma tabela que estabelece os níveis de renda por condado para até oito pessoas por moradia.