Especialistas dão dicas de como se proteger do coronavírus quando alguém tiver a doença em casa

Lavar roupas à parte, usar máscara em ambientes comunitários e limpar o banheiro após o uso ajuda a assegurar que outros familiares sigam saudáveis

0
873
Photo By U.S. Air Force photo by Senior Airman Jessica Blair

A recomendação do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) é que pessoas com suspeita de coronavírus fiquem em casa e só procurem a emergência hospitalar caso sinta falta de ar, sintoma que tem evoluído muito rápido para uma insuficiência respiratória. 

O isolamento domiciliar por 14 dias é a orientação do CDC para quem tem sintomas leves de coronavírus – incluindo tosse, febre, cansaço e coriza. Mas se uma pessoa que mora na minha casa tiver esses sintomas, o que fazer?

O vírus se espalha por gotículas ou secreções corporais (saliva, suor, sangue) em superfícies, via toque ou espirro, e pode permanecer por horas ou dias, a depender do tipo de material. Também valem para quem vive em residências com cômodos de divisão para os habitantes.

De acordo com o infectologista Alexandre Zavascki, em entrevista ao GaúchaZH, é possível evitar a contaminação de outros familiares, mas depende muito de o quanto as pessoas do domicílio vão estar engajadas em seguir os passos adequadamente. 

A pessoa com sintomas deve ficar o máximo de tempo possível no quarto. Ao sair, precisa circular pela casa com máscara cirúrgica e tocar o mínimo de objetos o possível. Janelas devem ficar abertas e familiares ficam a uma distância entre 1 m e 2 m. 

Apenas um familiar deve prover os cuidados para reduzir as chances de que todos da casa fiquem com coronavírus. Ao entrar no quarto, o familiar deve usar máscara e luvas descartáveis.

A pessoa com sintomas devem ficar em um quanto separado. Coloque uma lata de lixo por perto com a tampa fechada.  O quarto precisa ficar sempre com a janela aberta, bem ventilado e arejado, mas com a porta fechada. A própria pessoa deve trocar as roupas de cama e colocá-las em um saco plástico para levá-las à máquina de lavar. 

Já no banheiro, objetos que não devem ser compartilhados: sabonete, toalha de rosto, escova de dentes, creme dental, pente, entre outros. Em cenário ideal, a própria pessoa com sintomas deve ter um banheiro único e fazer a limpeza com desinfetante. Se o banheiro for compartilhado, a pessoa deve, após o uso, limpar pia, balcão, piso e box com desinfetante. Caso o indivíduo se sinta muito mal, o familiar que limpar o cômodo deve usar máscara e luvas. 

Quanto aos animais estimação, a informação atual é de que pets não transmitem o coronavírus para humanos, mas eles podem contrair a doença.  O especialista afirma que é preciso cuidar para que não falar ou espirrar próximo ao animal, porque as gotículas com vírus grudadas nos pelos podem circular pela casa.

Para limpar a casa, o mais indicado é água e sabão, álcool em gel 70%, água sanitária e desinfetantes. 

Na máquina de lavar, lençóis, toalhas e roupas devem ser recolhidos em uma sacola ou cesto à parte e lavados, separadamente e lavar com sabão em pó abundante. Escolha, se possível, temperatura entre 60º e 90ºC. Evite sacudir a roupa antes de colocar na máquina. A sacola deve ser imediatamente descartada e as mãos, higienizadas. Se as roupas forem lavadas no tanque, use máscara cirúrgica.

Superfícies 

Todas as superfícies de contato constante devem ser limpas: pia, maçanetas, mesas, interruptores, assentos de sofá, cadeiras, vaso sanitário e torneiras. Se estiver suja com algo, limpe com água e sabão e, depois, passe desinfetante. Lave as mãos logo em seguida por ao menos 20 segundos. 

As luvas  devem ser utilizadas sempre que entrar em contato com utensílios usados pela pessoa com sintomas. Em seguida, luvas precisam ser descartadas. 

(Com informações do infectologista Alexandre Zavascki, enfermeira Cristiane Tejada e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC))