Estados oferecem até $2 mil para desempregados que voltarem ao trabalho

Arizona, Montana, New Hampshire e Oklahoma definiram suas próprias estratégias para estimular que trabalhadores saiam dos sistemas de seguro-desemprego e ocupem novas vagas

0
854
Em março, a taxa de desemprego da Flórida estava em 4,7% (foto: Wikimedia)
Objetivo é combater a escassez de mão de obra (foto: Wikimedia)

Os estados americanos do Arizona, Montana, New Hampshire e Oklahoma estão oferecendo até dois mil dólares para os cidadãos desempregados voltarem para o mercado de trabalho. A medida busca combater a escassez de mão de obra enfrentada nesses locais.

Para entregar o dinheiro, cada governo estadual definiu sua própria estratégia, que envolve desde a comprovação de horas trabalhadas até a desvinculação do sistema de seguro-desemprego. Confira abaixo.

Arizona

O estado está oferecendo dois mil dólares para indivíduos que conseguirem um novo emprego de tempo integral, e mil dólares de meio período.

O dinheiro só será  transferido para a conta bancária do trabalhador quando ele sair do sistema de seguro-desemprego e completar pelo menos 10 semanas de trabalho. Também será exigido que o salário recebido na nova colocação seja inferior a $25 por hora.

Montana

O valor de $1,2 mil será para as pessoas que receberam seguro-desemprego até 4 de maio e que já aceitaram um nova oferta, tendo como comprovar pelo menos quatro semanas trabalhadas.

Os indivíduos elegíveis serão contactados pelo próprio Montana Department of Labor and Industry e informados sobre o valor a ser recebido.

New Hampshire

Este estado dará um bônus de mil dólares para pessoas que conseguirem um emprego de tempo integral, e $ 500 para meio período. Também será preciso comprovar pelo menos oito semanas de vínculo empregatício e salário de até $25 por hora. O dinheiro será distribuído até que o total de $ 10 milhões destinados a esta campanha sejam esgotados. 

Oklahoma

Pessoas que receberam auxílio-desemprego até 15 de maio terão direito a um bônus de $ 1,2 mil se conseguirem um novo emprego de pelo menos 32 horas semanais, e trabalhar nele por seis semanas consecutivas. O desembolso desse incentivo terá início na segunda semana de julho e será entregue apenas aos primeiros 20 mil trabalhadores inscritos.