Estudante brasileiro é encontrado morto na China; suspeita é de assassinato

Gaúcho estava fazendo um intercâmbio em uma universidade chinesa e terminaria este ano

0
36
Leonardo Cláudio da Rosa, estudante brasileiro encontrado morto na China (Facebook - Reprodução)
Leonardo Cláudio da Rosa, estudante brasileiro encontrado morto na China (Facebook - Reprodução)

O estudante brasileiro Leonardo Cláudio da Rosa, de 23 anos, foi encontrado morto na cidade de Chongqing, na China, informaram nesta segunda-feira, 15, o Itamaraty e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O jovem cursava Letras na instituição gaúcha e realizava um intercâmbio em uma universidade do país asiático. A causa da morte de Rosa ainda não foi confirmada, mas há a suspeita de que ele tenha sido assassinado. As informações são do jornal Estado de Minas.

Leonardo estudava língua e literatura chinesas dentro de um programa gerenciado pelo Instituto Confúcio na UFRGS, com bolsa oferecida pela Communication University of China (CUC) e pela Hanban, fundação vinculada ao Ministério da Educação da China.

“As informações iniciais, provenientes de colegas de intercâmbio de Leonardo na China, indicam que foi vítima de crime, embora a direção não possa confirmar”, informou, em sua página no Facebook, a direção do Instituto de Letras da UFRGS.

A universidade informou que a Secretaria de Relações Internacionais (Relinter) e os órgãos superiores da instituição acompanham o caso junto com a família de Rosa, o Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada brasileira na China, a fim de providenciar o translado do corpo e investigar as circunstâncias da morte do estudante.

“A direção do IL (Instituto de Letras) expressa aqui sua profunda consternação e tristeza e envia, em nome da comunidade da Letras, seus sentimentos de solidariedade à família de Leonardo”, lamentou a UFRGS. “Faremos o que estiver a nosso alcance para que as autoridades brasileiras busquem junto ao governo chinês o esclarecimento cabal dessa incompreensível tragédia.”

O Itamaraty informou, em nota, que desde que foi acionada a Embaixada brasileira em Pequim está em constante contato com as autoridades policiais locais para obter informações adicionais sobre a ocorrência. “O Itamaraty também está em contato com os familiares do Sr. da Rosa, com vistas a orientá-los quanto aos trâmites burocráticos para o traslado do corpo”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores.